Ciência & Saúde Coletiva no concerto dos periódicos nacionais

Por Maria Cecília de Souza Minayo, Editora-chefe e Luiza Gualhano, Assistente de comunicação, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Ciência & Saúde Coletiva chegou ao fim de 2016 com todas as edições mensais de 30 artigos em dia e com alta visibilidade. O periódico está indexado em 22 bases de dados internacionais e regionais, dentre as quais: SciELO, PubMed/MEDLINE, Web of Sciences, Scopus, DOAJ, CROSSREF, LILACS e Google Scholar. Recebeu 3540 originais em 2016, dos quais, menos de 20% foram aceitos, evidenciando o rigor das avaliações. Publicou 270 dos artigos simultaneamente em português e inglês, o que corresponde a 75% do total da sua divulgação anual.

O periódico está classificado em primeiro lugar por dois anos consecutivos no Google Metrics entre 100 periódicos do Brasil que publicam em português. Entretanto, seu alto desempenho com h5=47 equivale à 10ª posição no ranking global dos 20 periódicos em inglês de saúde pública de maior impacto no Google Metrics. Ocupa o terceiro lugar nos rankings de Fator de Impacto do JCR/WoS e do Scimago Journal Ranking do Scopus entre os periódicos do Brasil da área também indexados nestas bases. No SciELO, Ciência & Saúde Coletiva serviu nos últimos três anos uma média diária de mais de 10 mil downloads e acessos, ocupando a 6ª posição entre os periódicos com melhor desempenho.

Ao longo de seus 21 anos, Ciência & Saúde Coletiva vem apresentando expressiva contribuição para discussão da saúde nacional e internacional e ultrapassando fronteiras do mundo acadêmico, pois seus textos são lidos também por gestores, profissionais dos serviços, movimentos sociais e formadores de opinião. Os títulos de 2016 não deixam dúvidas sobre sua relevância para o setor. Dentre eles se destacam: Avaliação do Programa Mais Médicos; Avaliação dos 10 anos da Política de Promoção da Saúde; Análise Crítica da Saúde nas Prisões; Análise das Informações da Pesquisa Nacional de Saúde IBGE/MS; Atividade Física como problema de Saúde; e Estudos sobre Deficiência, Família e Sociedade, dentre outros. Essas duas últimas edições apresentaram assuntos relevantes com foco na realização das Olimpíadas e Paraolimpíadas.

Neste número (22.2) aprofunda-se um dos temas prioritários para a saúde da população: padrões alimentares e a segurança nutricional. Os textos abrangem a relação entre alimentação e políticas sociais; a qualidade dos alimentos e da dieta de diferentes grupos populacionais; as doenças provocadas por distúrbios alimentares; e vários dispositivos metodológicos para avaliação de aspectos nutricionais que afetam a saúde.

Infelizmente, todo esse esforço editorial e principalmente o desempenho crescente do Ciência & Saúde Coletiva até agora, têm sido poucos reconhecidos no processo de categorização do Qualis/Capes onde está classificado com o conceito B1, pari passu com vários outros periódicos de qualidade da área mas que ainda apresentam índices de desempenho bastante inferiores aos da Ciência & Saúde Coletiva. Isso é lastimável porque que traz consequências para o ranking dos cursos e para o reconhecimento acadêmico dos pesquisadores que publicam na Ciência & Saúde Coletiva além de desestimular a submissão de originais de qualidade superior.

Para ler os artigos, acesse

Ciência & Saúde Coletiva, vol.22 no.2, Rio de Janeiro, Fev. 2017 – <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_issuetoc&pid=1413-812320170002&lng=pt&nrm=iso>

Link externo

Ciência & Saúde Coletiva: <http://www.scielo.br/csc>

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

MINAYO, M.C.S. and GUALHANO, L. Ciência & Saúde Coletiva no concerto dos periódicos nacionais [online]. SciELO em Perspectiva | Press Releases, 2017 [viewed ]. Available from: http://pressreleases.scielo.org/blog/2017/02/16/ciencia-saude-coletiva-no-concerto-dos-periodicos-nacionais/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation