Estudo mostra que a má oclusão impacta negativamente a qualidade de vida de adolescentes

Lucas Guimarães Abreu, Doutorando, Departamento de Odontopediatria e Ortodontia, Faculdade de Odontologia, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil

Grupo de pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) concluiu, em estudo publicado sob o título “Perception of parents and caregivers regarding the impact of malocclusion on adolescents’ quality of life: a cross-sectional study”, no volume 21, número 6 do Dental Press Journal of Orthodontics, que a má oclusão ou a má posição dos dentes pode exercer um efeito negativo na qualidade de vida de adolescentes. A pesquisa incluiu pais ou cuidadores que acompanhavam os seus filhos/filhas adolescentes em consultas odontológicas na Faculdade de Odontologia da UFMG. Durante o atendimento de adolescentes, dentistas frequentemente levam em consideração as opiniões de pais ou cuidadores, pois estes podem conhecer aspectos importantes da saúde dos filhos/filhas, além de serem considerados os principais tomadores de decisão quando um procedimento de diagnóstico ou um tratamento odontológico vai ser realizado em um menor de idade.

O estudo deixa claro que, após responderem um questionário sobre a saúde bucal do filho/filha, pais e cuidadores afirmam que a má posição (ou o mal alinhamento) dos dentes tem um impacto adverso no bem-estar de indivíduos jovens com repercussões emocionais e no convívio social destes indivíduos com os colegas da mesma idade. A presença de dentes com uma aparência desfavorável pode transformar um adolescente em uma pessoa estigmatizada e insegura, pois os outros adolescentes podem hostiliza-lo devido àquele problema dentário.

As conclusões desta pesquisa podem ser úteis para todos os pais ou cuidadores de adolescentes sobre a importância do acompanhamento odontológico do seu filho/filha. Uma vez identificada, a má posição dos dentes deve ser tratada com aparelhos apropriados (tratamento ortodôntico). O não tratamento e a persistência do mal alinhamento dentário podem ter consequências devastadoras na autoestima do indivíduo jovem. Estas informações podem ser importantes também para os organizadores de serviços de saúde que devem incluir o tratamento ortodôntico como um dos protocolos oferecidos em seus serviços.

Para ler o artigo, acesse:

ABREU, L.G., et al. Perception of parents and caregivers regarding the impact of malocclusion on adolescents’ quality of life: a cross-sectional study. Dental Press J. Orthod. [online] 2016, vol. 21, no. 6, pp. 74-81, ISSN: 2177-6709 [viewed 14 February 2017]. DOI: 10.1590/2177-6709.21.6.074-081.oar. Available from: http://ref.scielo.org/wyj9fs

Link externo

Dental Press Journal of Orthodontics: <http://www.scielo.br/dpjo>

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

ABREU, L.G. Estudo mostra que a má oclusão impacta negativamente a qualidade de vida de adolescentes [online]. SciELO em Perspectiva | Press Releases, 2017 [viewed ]. Available from: http://pressreleases.scielo.org/blog/2017/02/17/estudo-mostra-que-a-ma-oclusao-impacta-negativamente-a-qualidade-de-vida-de-adolescentes/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation