Estresse ocupacional em profissionais da saúde da linha de frente no combate a COVID-19

Romanniny Hévillyn Silva Costa Almino, enfermeira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Brasil.

Nanete Caroline da Costa Prado, enfermeira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Brasil.

Richardson Augusto Rosendo da Silva, professor, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Brasil.

Enfermeiros pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, diante da elevada demanda em saúde mental dos profissionais de saúde devido as consequências psicológicas causadas pelo novo coronavírus e o potencial, consideravelmente, alto para o surgimento do estresse psicológico, realizaram estudo voltado para a identificação dos estressores ocupacionais e das estratégias de enfrentamento ao estresse.

O estudo teve como suporte teórico o Modelo de Sistemas de Betty Neuman. Para Neuman, o indivíduo é comparado a um sistema aberto às interações com o meio no qual está inserido e busca, constantemente, estabilidade física e mental (NEUMAN; FAWCETT, 2011).

O artigo, publicado na revista Acta Paulista de Enfermagem e intitulado Estresse ocupacional no contexto da COVID-19: análise fundamentada na teoria de Neuman, trata-se de estudo de abordagem quantitativa, onde foram analisados 27 estudos primários relacionados aos estressores e/ou as intervenções focadas na prevenção do estresse ocupacional em profissionais de saúde frente à pandemia da COVID-19. O levantamento bibliográfico foi realizado, em abril de 2021, em reconhecidas bases de dados, como por exemplo, The Cochrane Library, Scopus e Web of Science.

Os resultados do estudo demonstraram fatores intrapessoais (relacionados ao indivíduo), interpressoais (relacionado ao indivíduo e o ambiente próximo a ele) e extrapessoais (forças externas fora do limite do indivíduo) como sendo responsáveis pelo estresse ocupacional nos profissionais de saúde no contexto da pandemia da COVID-19.

Imagem: Freepik

Como estressores intrapessoais observou-se: o medo de contágio e o conhecimento restrito da doença; interpessoais: mudança nos relacionamentos sociais e receio de transmissão aos familiares, vivenciar o adoecimento de colegas e familiares e perda de entes queridos; e extrapessoais: sistema de saúde inadequado e sobrecarga de trabalho.

Para o enfrentamento do estresse ocupacional direcionado aos profissionais de saúde que atuam na linha de frente de combate a COVID-19 o estudo destacou estratégias de prevenção a nível primário (promoção à saúde do trabalhador, principalmente, focada no âmbito coletivo), secundário (detecção precoce dos sintomas do estresse ocupacional) e terciário (reabilitação do profissional com estresse ocupacional).

O estudo é importante, pois a partir do conhecimento dos fatores que desencadeiam o estresse ocupacional destes profissionais, identifica estratégias que visam minimizar a ocorrência desse evento.

Não há dúvida que os profissionais de saúde exercem papel fundamental na assistência à saúde do paciente acometido pela COVID-19, mas não podemos desconsiderar que o estresse incessante pode desencadear problemas psicológicos de ansiedade, medo, ataques de pânico e sintomas pós-traumáticos.

O resultado do estudo traz também novos desafios, pois os problemas que afetam a categoria no que diz respeito a saúde mental desses trabalhadores, desperta a inquietude de discussões acerca das responsabilidades institucional, política e social para o cuidar em saúde mental dos profissionais da saúde.

Leia mais

NEUMAN B., FAWCETT, J. B. and FAWCETT, J. The Neuman Systems Model. 5a ed. United States: Prentice Hall; 2011.

Para ler o artigo, acesse

ALMINO, R.H.S.C., et al. Estresse ocupacional no contexto da COVID-19: análise fundamentada na teoria de Neuman. Acta Paulista Enfermagem [online]. 2021, vol. 34, eAPE002655 [viewed 22 December 2021]. https://doi.org/10.37689/acta-ape/2021AR02655. Available from: https://www.scielo.br/j/ape/a/wHY9NkrKDbN9V7QgK7JFSvH/

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

ALMINO, R.H.S.C., PRADO, N.C.C. and SILVA, R.A.R. Estresse ocupacional em profissionais da saúde da linha de frente no combate a COVID-19 [online]. SciELO em Perspectiva | Press Releases, 2022 [viewed ]. Available from: https://pressreleases.scielo.org/blog/2022/01/03/estresse-ocupacional-em-profissionais-da-saude-da-linha-de-frente-no-combate-a-covid-19/

 

One Thought on “Estresse ocupacional em profissionais da saúde da linha de frente no combate a COVID-19

  1. LEONARIA FURTADO REGO on March 29, 2022 at 21:26 said:

    A COVID 19 VEIO PARA NOS MOSTRAR O QUÃO É IMPORTANTE A NOSSA CATEGORIA,TANTO ENFERMAGEM COMO UM TODO, O QUE ENFRENTAMOS EM OCASIÕES DIVERSAS SÃO PROBLEMAS RELACIONADOS AO DESGASTE EMOCIONAL,AUTO RISCO DE CONTAMINAÇÃO, PORÉM, TEMOS NOSSAS PROTEÇÕES EM RELAÇAO AO USO ADEQUADO DOS NOSSOS EPIS ,SOMOS SABEDORES DA EXISTÊNCIA A EXPOSIÇÃO,MAS CONTINUAMOS FIRMES PARA TERMOS NOSSAS RECOMPENSAS DE GRATIDÃO AO SER HUMANO QUE TANTO PRECISA DE UM CUIDADO MAIOR ,CUIDADO A SER PRESTADO COM QUALIDADE E FAZER A NOSSA HISTÓRIA VALER A PENA,

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation