Tag: Ciência & Saúde Coletiva

Trabalho, ambiente e cuidados em saúde. Os maiores problemas de saúde do Brasil contemporâneo

As “Doenças e Agravos Não Transmissíveis” (DANT) tornaram-se um desafio para as sociedades contemporâneas. Elas se expressam em dois grupos de eventos: as enfermidades crônicas, como as cardiovasculares, as neoplasias, os distúrbios respiratórios, a diabetes e os acidentes e violências. As DANT representam hoje as mais elevadas causas de morbidade no mundo e também no Brasil, e estão associadas a mortes prematuras, incapacidades, perda da qualidade de vida e importantes impactos econômicos. Read More →

É a partir da infância que se constrói a longevidade

O intenso e rápido crescimento e desenvolvimento do ser humano na infância e na adolescência se conectam, de forma inexorável, ao processo de envelhecimento no que se refere aos processos cognitivos, à necessidade de manutenção das atividades físicas e cerebrais prévias e, também, em relação ao declínio de algumas funções. Em ambas as fases da vida a dependência e a vulnerabilidade são marcantes, demandando cuidado e apoio social para preservação da qualidade de vida e saúde. Read More →

Realizações de Ciência & Saúde Coletiva em 2017 e perspectivas de futuro

O número 3 de 2018 de Ciência & Saúde Coletiva trata de várias questões de saúde segundo o ciclo de vida, a começar pela gravidez, amamentação, até problemas que afetam mais as pessoas idosas como pressão alta, diabetes e enfermidades osteomusculares. No entanto, nesta comunicação pretende-se enfatizar o conteúdo do Editorial que faz um Balanço resumido do desempenho de Ciência & Saúde Coletiva (CSC), no ano de 2017. Read More →

Contribuição dos cientistas sociais para pensar e atuar frente às doenças crônicas

O conceito de “doenças crônicas” inclui um conjunto de enfermidades que ocupa um lugar importante no quadro de morbimortalidade da população brasileira. Hoje cresce a atenção aos agravos não transmissíveis, na medida em que o número de pessoas idosas e muito idosas avança e mudam-se os estilos de vida que favorecem o aumento de peso e o sedentarismo. No entanto, é bastante recente a contribuição das Ciências Sociais, com seus conceitos e metodologias, na investigação do tema. Read More →

A pesquisa qualitativa dialoga com a política e a prática e subsidia mudanças em saúde

Apesar da dominância das abordagens quantitativas usadas pela comunidade científica, observa-se, na atualidade, um revival da perspectiva qualitativa nos processos de investigação social e de saúde, no sentido de apresentar um conhecimento holístico e útil sobre a complexidade da experiência humana. Essa direção se consolida pela existência de grupos de pesquisa; de periódicos indexados internacionalmente; de congressos mundiais que privilegiam ou focalizam essa metodologia e pelo proliferar de comunidades on-line onde tal abordagem é discutida e refletida. Read More →

Direito à cidade como direito à saúde

A edição que encerra o ano de 2017 de Ciência & Saúde Coletiva trata do direito à cidade para grupos em situação de vulnerabilidade. Quatro conceitos nela se entrecruzam: o de cidade como um bem precioso da modernidade; o de direito à cidade como exercício do poder coletivo de moldar o processo de urbanização; o de direito à saúde como direito constitucional; e o de vulnerabilidade dos grupos tolhidos em sua liberdade de construir e reconstruir espaços sociogeográficos. Read More →

Com tão pouco se pode fazer a diferença: Benefício de Prestação Continuada para pessoas com funcionalidade reduzida

Num momento tão sofrido para o país, em que os cidadãos brasileiros descobrem, horrorizados, o assalto ao Estado por políticos corruptos que desviam dinheiro público para interesses particulares, é de extrema relevância o tema tratado em Ciência & Saúde Coletiva (vol. 22, no. 11). Nela se analisa criticamente o Benefício de Prestação Continuada (BPC) – uma política pública estabelecida pela Constituição de 1988 – e destinada, neste caso concreto, à inclusão social das pessoas com funcionalidade reduzida. Read More →

De olho na sua saúde!

É a respeito da vigilância sobre nossa saúde que a edição temática 22(10) da Ciência & Saúde Coletiva trata. Ela inclui o monitoramento das doenças infecciosas, dos surtos de epidemias e das endemias que ainda permanecem assolando o país, dos problemas ambientais, dos agravos à saúde dos trabalhadores, das doenças crônicas não transmissíveis e da prevenção de acidentes e violências. Inclui também a provisão e a promoção de vacinações e de campanhas e estratégias para prevenir problemas como, por exemplo, obesidade, abuso de álcool e outras drogas, diabete, doenças coronárias e outros. Read More →

Mortes prematuras, vidas despedaçadas, sociedade amedrontada: o saldo da violência que impacta a saúde

Os 30 artigos e uma resenha da edição 22.9 de Ciência & Saúde Coletiva trazem para o leitor uma visão do avanço do conhecimento sobre o impacto da violência na vida e na morte da população brasileira e em alguns países da América Latina. A violência continua sendo a 3ª causa de morte da população nacional, abaixo apenas dos óbitos por doenças cardiovasculares e câncer. Ela é responsável, além das dramáticas perdas e lesões humanas, pelo impacto na expectativa de vida dos homens no Brasil e em vários países da região. Read More →

Assistência farmacêutica com foco nas necessidades da população

O volume 22, número 8 da Revista Ciência & Saúde Coletiva trata da Assistência Farmacêutica que, segundo a Organização Mundial de Saúde, define-se como um “grupo de serviços e atividades relacionados com os medicamentos destinados a apoiar as ações de saúde demandadas pela comunidade”. O papel desse conjunto ‘operativo’ é garantir que os usuários recebam serviços e insumos de qualidade. Read More →