Category: Ciências Humanas

Remodelando Símbolos Nacionais durante a Copa do Mundo de Futebol de 2014 e as Olimpíadas de 2016

Qual a relação entre símbolos nacionais e globalização? O autor estuda a Copa do Mundo e as Olimpíadas no Brasil para analisar como os símbolos nacionais são produzidos em um contexto de globalização. Surgem daí novos meios de produção e agentes especializados que operam transnacionalmente na produção desses símbolos. Read More →

Pesquisa analisa a visão dos jovens acerca dos partidos ecológicos brasileiros

O artigo analisar como os partidos ecológicos são vistos pelos jovens no Brasil, com base em questionário com 710 informantes. Constata-se que conhecer o partido e suas propostas, estar em faixa etária jovem mais avançada, assim como ter maior nível de escolaridade e renda familiar se associam positivamente ao voto de jovens nos partidos ecológicos. Read More →

DADOS: transparência, desigualdades e divulgação

O texto apresenta as principais conquistas e os principais desafios da revista DADOS nos seus 55 anos de existência. Dentre os desafios, destaca-se a incorporação criativa do programa de Ciência Aberta num cenário político adverso à editoração científica em geral. Read More →

Impactos hiperburocráticos das máquinas digitais de administração da educação

Perante as promessas de desburocratização da educação admite-se, pelo contrário, a relevância da autoridade racional e informacional, servida por tecnologias da informação e instrumentos de controle digital. Estudo discute como máquinas de administrar a educação tenderão a produzir educação tão mais irracional em termos substantivos quanto mais racional em termos formais, podendo resultar numa educação desumanizada. Read More →

Mãe é tudo igual? Mapeamento Corporal Narrado por Gabriela

Através de um Mapeamento Corporal Narrado, uma mulher autodeclarada preta narra o processo de constituição de sua identidade racial negra e as repercussões da violência racial sofrida por ela em suas práticas maternas, evidenciando tal processo como explicitamente diferente comparado à maternidade de mães não negras. Read More →

Como será o trabalho dos professores pós pandemia da COVID-19?

Estudo chama a atenção para a necessidade de mudanças profundas na educação e no trabalho pedagógico. Depois da pandemia de COVID-19, os professores vão ser mais importantes do que nunca, mas a profissão docente enfrentará desafios inéditos na sua história. Read More →

Educação e pandemia: que fazer agora e depois?

Como caixa de ressonância de desigualdades, a pandemia faz retroceder conquistas do direito à educação. As tecnologias não substituem a escola presencial, de modo que o retorno precisa ser preparado com atenção à saúde física e mental de todos os atores, recuperando os estudantes desistentes e o déficit de aprendizagem. Read More →

Feminização do envelhecimento: afinal, do que estamos falando?

O estudo procura ampliar o conceito do fenômeno da feminização do envelhecimento para além do fato de que há mais mulheres idosas em nosso país do que homens idosos. O texto revela ainda os desafios para as mulheres, desde executivas, empreendedoras a acadêmicas, mostrando fragilidades e necessidades de ações para inserção e manutenção dentro das organizações. Read More →

O pensamento vivo de Heleieth Saffioti

Heleieth Saffioti foi uma das pioneiras brasileiras a agregar o marxismo à situação das mulheres, ainda no final dos anos 1960, tendo influenciado outras tantas feministas acadêmicas que hoje são reconhecidas. Nos 52 anos da obra A Mulher na Sociedade de Classes – Mito e Realidade: no Brasil, o texto mais conhecido da autora, a REF reúne oito artigos que exploram o impacto e a apropriação desse marco do feminismo brasileiro de esquerda, na Seção Temática intitulada “Heleieth Saffioti – 50 anos d’A mulher na sociedade de classes”. Read More →

Os privilégios honoríficos na cultura jurídico-política brasileira do século XIX

O “direito da nobreza” analisado à luz das mudanças e da cultura jurídico-políticas brasileiras no século XIX é o objeto do artigo em questão, que buscou, através da Constituição outorgada de 1824, dos textos doutrinários e dos Anais do Parlamento Brasileiro compreender a relação estabelecida entre o estado constitucional e os antigos privilégios de nascimento. Sendo o sistema constitucional, na letra da Constituição, o responsável por prever as principais alterações nas legislações e procedimentos vigentes reiterando, assim, o espaço monárquico constitucional como não vinculado juridicamente à nobreza. Read More →