Tag: Interface – Comunicação, Saúde, Educação

Como a arte cinematográfica e o acesso às emoções contribuem na formação de profissionais em saúde?

Estudo mostra a eficiência do uso da arte cinematográfica em atividades de metodologias ativas como um especial disparador de diálogos que integram emoções e racionalidades, propiciando novos caminhos de aprendizagem para o desenvolvimento de competência profissional na área da saúde. Read More →

O SUS avança na humanização do parto? Uma análise a partir da experiência de mulheres

Estudo qualitativo realizado com mulheres grávidas atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Brasília, DF, apresenta narrativas do parto humanizado em hospitais e um centro de parto normal. Comparamos as experiências de parto, tomando em conta cumplimento de direitos, satisfação de serviços e como a humanização impacta a experiência do parto. Read More →

Como as maratonas hackers podem ser aplicadas no campo da Saúde?

O estudo mapeou a realização de maratonas hackers no Brasil, com desafios voltados para o campo da Saúde, no período entre 2000 e 2016. Os resultados ressaltam o potencial da metodologia no fomento à criatividade e à inovação, a partir do trabalho colaborativo em equipe multiprofissional no campo da Saúde. Read More →

As controvérsias da publicidade de alimentos e bebidas no Brasil: o modelo de regulamentação atual é eficaz?

Há vários estudos quanto à influência das propagandas de alimentos e bebidas nos hábitos alimentares e na saúde da população, especialmente entre crianças. No Brasil, a regulação de peças publicitárias é alvo de discussão no campo da saúde pública há bastante tempo, tendo em vista os limites da autorregulação. Assim, o estudo buscou sintetizar evidências científicas do papel do governo, indústrias e organizações do setor privado na atuação em regulação de propagandas de alimentos e bebidas por meio de uma revisão de literatura. Read More →

A coragem das Mães Waldorf para parir

Como parem as Mães Waldorf da Demétria? Em 2013, por seis meses, realizamos uma etnografia sobre a gestação e o parto na Antroposofia, no bairro rural da Demétria, em Botucatu, São Paulo. Atualmente, há um campo de pesquisa articulado entre as Ciências Sociais e a área da saúde para estudar as novas formas de parir na contemporaneidade. As pesquisas brasileiras apontam para diferentes contornos sobre o parto. Read More →

Até quando iremos negligenciar a Saúde nos Estudos de Impacto Ambiental? Uma análise sobre a relevância da Avaliações de Impacto à Saúde (AIS).

A análise de impactos à saúde é realizada de forma superficial em licenciamentos ambientais e na adoção de algumas políticas públicas. Nesse sentido, a adoção de uma ferramenta padronizada de Avaliação de Impacto à Saúde (AIS) evitaria a geração de inequidades em saúde e reduziria os custos associados nesse setor. Read More →

Novembro Azul, PSA e campanhismo na saúde dos homens brasileiros

Os meses coloridos têm um forte apelo na mídia e em instituições de saúde. Mas será mesmo que essas campanhas de conscientização e alerta sobre determinadas doenças tem fundamentos de acordo com a Medicina Baseada em Evidência? Alertar a população sobre os riscos de sobrediagnóstico e sobretratamento do PSA e toque retal propagados pelo Novembro Azul também deve ser feito, não apenas sobre a doença e taxas de mortalidade, como todo ano são divulgados. Read More →

A judicialização da Saúde: existem interferências da indústria farmacêutica no fenômeno?

Pesquisa em Minas Gerais apontou a relação entre médicos, escritórios de advocacia e indústria farmacêutica nas ações judiciais em saúde. Os pesquisadores apresentam os recentes resultados da aplicação de estratégia de investigação qualitativa para análise da interferência da indústria farmacêutica nas prescrições de medicamentos. Read More →

Fluxos migratórios e novas demandas e necessidades para o Sistema Único de Saúde (SUS): doença de Chagas e população boliviana na cidade de São Paulo

Migrações internacionais constituem novo fenômeno social. Saúde é campo sensível, perfis epidemiológicos e demandas para os serviços. No Brasil a presença de imigrantes sulamericanos, com inserção precária nas metrópoles, principalmente de bolivianos na cidade de São Paulo são expressivos. Estudo aborda atendimento aos bolivianos no SUS, enfocando doença de Chagas, por meio de entrevistas com profissionais dos serviços de saúde na região central de São Paulo, principal destino dessa população. Condições de vida e trabalho determinam perfis de adoecimento e iniquidades em saúde. Idioma e cultura são limites. Read More →