Tag: Educação

O que podem dizer os apelidos sobre a realidade escolar?

Pesquisa realizada em escolas lusas e brasileiras mostra que os apelidos dão conta do modo como as identidades juvenis se constroem em contexto escolar. Além disso, os apelidos revelam faces ocultas da vida escolar, como manifestações de racismo e assédio ou bullying sexual, para além de identificarem brechas geracionais no uso das novas tecnologias. Read More →

Violências nas escolas: o labirinto tem saída?

Estudo revela que é possível alcançar significativas mudanças quando os professores trocam a metodologia tradicional pelo debate de problemas, projetos, diálogo e afetividade, permitindo o desenvolvimento da subjetividade e protagonismo dos adolescentes. Neste sentido, os resultados da pesquisa apresentam sugestões para alterar a formação de professores. Read More →

O que Paulo Freire tem a ver com a educação superior?

Educação e Pesquisa publica em seu volume contínuo do ano de 2018, artigo inédito do professor Celso de Rui Beisiegel, falecido em novembro de 2017. Além do que, provavelmente, foi o último trabalho escrito pelo Professor, sobre a educação popular e ensino superior visto pela perspectiva de Paulo Freire. Além disso, outro estudo faz uma homenagem as contribuições de alguns itinerários do pesquisador. Read More →

O uso da tecnologia e a observação de professores: é possível pensar em aprendizagens?

Na contemporaneidade, o grande volume e a profusão de informações nos meios digitais devem ser considerados quando se pensa no processo de ensino aprendizagem? Nesse sentido, torna-se emergente construir e a buscar evidências sobre estratégias de aprendizagem utilizadas por professores e as que eles observam que os seus alunos adotam quando usam as tecnologias da mídia clássica ou on-line. Read More →

Como a arte cinematográfica e o acesso às emoções contribuem na formação de profissionais em saúde?

Estudo mostra a eficiência do uso da arte cinematográfica em atividades de metodologias ativas como um especial disparador de diálogos que integram emoções e racionalidades, propiciando novos caminhos de aprendizagem para o desenvolvimento de competência profissional na área da saúde. Read More →

Autoeficácia docente: escala de avaliação específica para professores de alunos com autismo

Estudo discute a percepção de autoeficácia docente em relação a sua prática profissional na escolarização de alunos com autismo. Para tal, o texto apresenta indicadores de equivalência semântica resultantes do processo de tradução e adaptação transcultural da escala Autism Self-Efficacy Scale for Teachers (ASSET) para a língua portuguesa do Brasil. Certamente novos estudos precisam ser realizados, mas o texto traz importante contribuição científica para a área de Educação Especial. Read More →

Sobre a influência do gênero no ensino e na aprendizagem das ciências

Estudo analisa a proximidade entre as estratégias de aprendizagem preferidas por estudantes, moças e moços, e as estratégias desenvolvidas por docentes, professoras e professores, nas aulas de ciências de 9.º ano.
O estudo infere que, apesar de se registarem algumas diferenças entre moças e moços, estas diferenças se tornam mais acentuadas quando se comparam as preferências manifestadas dentro de cada um destes grupos ou quando se comparam as preferências do grupo de estudantes com as práticas docentes.
Read More →

Vamos falar da (contra) reforma do ensino médio?

O debate sobre a implantação e os efeitos da Lei 13.415/17 que reestrutura o ensino médio brasileiro está na ordem do dia. Para além da discussão sobre o seu conteúdo, o artigo procura situar sua gênese nas tensões, avanços e recuos das políticas educacionais para o ensino médio brasileiro e lança questões sobre seus impactos na relação dos jovens com esse nível de ensino. Read More →

Formação profissional na saúde em disputa

A formação profissional de agentes comunitários em saúde é objeto de disputa desde a institucionalização deste trabalho no SUS. Um novo programa de capacitação para esses agentes reafirma a luta de classes existente. De um lado, interesses empresariais em fundos públicos; de outro, trabalhadores que reivindicam universalidade do direito à saúde e à educação. Read More →

A atuação de professores de Educação Física com alunos portadores de deficiência auditiva

O estudo analisou o uso de estratégias de professores de Educação Física no Ensino Fundamental (1° ao 5° ano) para promover a participação de alunos com deficiência auditiva nas mesmas atividades que os demais alunos da turma. Os autores concluíram que as estratégias de sucesso, ou seja, ações que visaram promover a participação em aula, foram ações que tinham uma finalidade voltada ao ensino; que atingiram a funcionalidade do aluno com deficiência auditiva; e, que respeitaram as características, as necessidades e as potencialidades desse aluno. Read More →