Tag: Educação

E quando as dificuldades de meus pais não me ensinam a controlar a minha raiva

A forma como pais e mães entendem-se sobre a criação dos filhos influencia seu desenvolvimento. Estudo mostra o impacto da coparentalidade na capacidade de regular emoções e no desenvolvimento de sintomas externalizantes. Na adolescência o conflito e a triangulação coparental têm influência em dificuldades de regular as emoções e comportamentos. Read More →

Cenas da pandemia. O que podemos pensar sobre educação?

Em 2020, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) faz 30 anos. Esse marco coincide com a pandemia causada pela COVID-19, que coloca em conflito noções de direito ligadas à preservação da vida e da liberdade apresentadas pelo ECA. Diante desse contexto, estudo trata sobre reinvenções e deslocamentos diante da quarentena explorando seis cenas expressivas da reinvenção do cotidiano que estão vinculadas a três dimensões específicas: a relação de famílias com as tecnologias; a relação das famílias com a escola; e a relação das famílias com suas crianças. Read More →

A educação nas metrópoles: desigualdades de aprendizagem por nível socioeconômico, raça e gênero

As escolas públicas das metrópoles brasileiras são desiguais. Analisando o caso paulistano, o estudo descreve tanto o padrão existente na cidade das desigualdades de aprendizagem de Leitura no 5.o ano entre grupos de estudantes definidos por nível socioeconômico, raça e gênero, quanto analisa a variação desse padrão ao longo dos seus distritos. Read More →

Ano 2091: como ocupar as filosofias da educação?

Questiona-se as filosofias da educação em relação ao papel das lutas na transformação da escola, considerando, especialmente, as ocupações secundaristas. Conclui-se que uma longa tradição filosófica sobre a educação vem negando aos estudantes o papel de elementos ativos na invenção da escola, investindo pouco ou nenhum pensamento nas lutas estudantis. Read More →

De que forma os sentidos e as memórias compõem nossa cultura e consciência?

Tradução inédita em língua portuguesa do segundo prefácio da obra “Desenvolvimento da memória”, escrito em conjunto por Vigotski e Leontiev, é apresentada em dossiê temático pelo Cadernos Cedes. A publicação explora novas perspectivas no que toca aos conceitos de sentido e memória, e o papel destes na formação social da vida psíquica. Read More →

A formação de professores para o Ensino Médio está demasiadamente centrada na prática?

Estudo examina algumas situações cotidianas envolvendo a formação inicial de professores ocorridas em cursos no Sul do Brasil, desenvolvidos por instituições públicas e privadas de ensino superior. Em tais experiências parece evidenciar-se um declínio da legitimidade acadêmica nos recentes modelos formativos em favor de uma centralidade das práticas, de uma ludificação dos procedimentos e um esmaecimento dos saberes curriculares e de sua função pública para a docência no Ensino Médio. Read More →

Nexos e modulações de classe social na saúde no Brasil

O estudo apresenta as relações entre classe e saúde, as mudanças na distribuição da saúde no Brasil de 2003 a 2013, bem como os nexos entre classe, autoavaliação da saúde e seus indicadores. Além disso, demonstra que classe social afeta o modo como a renda, a educação e as doenças crônicas geram ganhos ou ônus à saúde no Brasil. Read More →

Decidi mudar minha carreira e ser professor universitário, e agora?

A carreira de professor universitário faz parte dos planos de futuro de diversas pessoas. Carregada de ilusão quanto à carga de trabalho e ao status social, essa profissão costuma ser atrativa para quem quer mudar de profissão. Porém, as decisões dessa transição nem sempre são completamente racionais. Read More →

Pode um educador contemporâneo dialogar com pensadores da Antiguidade?

Pode-se caracterizar as concepções filosóficas e educacionais de John Dewey como céticas, mas somente até certo ponto. Na comparação do discurso deweyano com as teses de Pirro de Élis, revela-se que Dewey se aproxima de outra corrente filosófica, a Sofística, da qual deriva uma pedagogia inovadora e pouco conhecida. Read More →

O Ensino Médio e o direito à Educação — obrigatório para quem?

A partir de 2009 o Brasil ampliou o tempo de obrigatoriedade escolar de quatro para dezessete anos. Incluiu, portanto, a faixa etária destinada ao Ensino Médio (15 a 17 anos). O estudo analisa de que modo teria ocorrido a inclusão desses jovens em um sistema escolar tradicionalmente excludente. Read More →