Tag: Educação E Pesquisa

Desigualdade educacional no acesso ao ensino superior é marcada por aspectos estruturais étnico-raciais

O estudo indica, a partir da análise de informações do IBGE, que o processo de desigualdade no acesso de negros e negras ao ensino superior é influenciado pelas trajetórias escolares nas etapas que antecedem a chegada no ensino superior, em especial as relacionadas a frequência, permanência e conclusão do ensino médio. Read More →

Como estudantes de mestrado vivenciam o ensino da leitura e da escrita em sua formação

Mestrandos de um curso de Comunicação e Sociedade de uma universidade pública, considerando o trabalho realizado pelos professores universitários, narram suas experiências relacionadas às práticas de leitura e escrita dos gêneros acadêmicos, a exemplo da dissertação. Read More →

Silenciamento de mulheres em narrativas sobre a Escola Normal

Políticas de silenciamento orientam a organização de arquivos escolares, atualizando os silenciamentos vivenciados por mulheres em narrativas sobre o magistério. Modos criativos das mulheres devem aparecer em acervos de arquivos como condição de possibilidade para produções textuais que sustentem protagonismos marcados por experiências generificadas e racializadas. Read More →

Criticado por uns e admirado por outros, o que pensa Gramsci sobre a educação e a escola?

Este artigo apresenta os resultados de investigações das concepções de educação e de escola de Antonio Gramsci (1891-1937), para averiguar a identidade teórico-metodológica que guardam. Conclui-se que as formulações do comunista revolucionário italiano são expressões atualizadas do legado do marxismo originário e, portanto, não podem ser confundidas com concepções liberais. Read More →

Formar educadores para atender as esferas locais na Educação de Jovens e Adultos

Estudo apresenta reflexões de uma pesquisa sobre o atendimento à Educação de Jovens e Adultos (EJA) no âmbito local em microrregiões de Minas Gerais e discute a formação de educadores a partir das constatações “A EJA vai acabar”, “Caí na EJA” e “Me joguei na EJA”. Essas questões reforçam que somente o reconhecimento não tem sido suficiente para amparar uma proposta de EJA, que atenda ao provimento de vaga de educador por meio do concurso público e à formação continuada voltada para as especificidades de jovens, adultos e idosos. Read More →

O direito de participar (ou não) na infância: estratégias e poderes

O estudo discute a partir das percepções das crianças como a participação, enquanto direito garantido pelo Estatuto da Criança e do Adolescente e pela Lei da Primeira Infância, emerge enquanto direito de se envolver (ou não) e transformar o contexto socioeducacional na Escola Viva Olho do Tempo (João Pessoa – PB). Read More →

Guerra ao governo democrático das infâncias

Estudo traça uma breve genealogia do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e analisa a sua emergência no processo de redemocratização do país. Tratava-se de uma forma democrática de governo, mantendo-as sob a tutela dos adultos. Read More →

As ocupações das escolas pelos secundaristas: uma luta geracional?

As ocupações de escolas pelos secundaristas ao longo de 2015 e 2016 foram um acontecimento muito significativo no cenário político. Adolescentes com pouca participação na política organizaram um movimento nacional que parou as atividades escolares e ocupou milhares de escolas em todo o Brasil. Read More →

Um mapa do combate ao gênero nos planos da educação brasileira

A inserção do conceito de gênero nos planos estaduais e distrital de educação promulgados nos últimos anos mostra um mapa complexo em que é visível uma acirrada disputa entre o avanço conservador e a manutenção de políticas para mulheres e LGBT na educação do Brasil. Read More →

E se escutarmos um poeta, um filósofo e um educador para pensarmos os tempos da infância e uma infância para a educação?

Há um valor político na temporalidade infantil, que é preciso atentar e cuidar, muito mais do que interromper, como fazem, atualmente, as instituições educacionais. Assim, os modos de entender o político exigem repensar a experiência temporal propiciada e afirmada nas instituições educacionais. Nossa estratégia é chamar personagens infantis, vindos da literatura, da filosofia e da educação: Gonzalo Rojas, Gilles Deleuze e Paulo Freire para pensar o conceito que atravessa o presente ensaio: o tempo. Read More →