Impacto da dermatite atópica na qualidade de vida de pacientes pediátricos e seus responsáveis

Por Carla Andréa Avelar Pires, Professora na Universidade do Estado do Pará, Belém, PA, Brasil

O estudo “Impacto da dermatite atópica na qualidade de vida de pacientes pediátricos e seus responsáveis”, publicado no volume 35, número 1 da Revista Paulista de Pediatria, salienta que a frequência de dermatite atópica — uma dermatose inflamatória crônica de etiologia multifatorial e caracterizada por prurido moderado a intenso — dobrou ou mesmo triplicou na maior parte do mundo nas últimas três décadas, constituindo um importante problema de saúde pública. As doenças dermatológicas são fonte de impacto negativo no estado emocional, nas relações sociais e nas atividades cotidianas por causa dos estigmas causados pela aparência das lesões. O prurido crônico é, muitas vezes, intratável, afetando a qualidade de vida e prejudicando o sono e as atividades diurnas dos pacientes. Existem ainda os impactos social, emocional e financeiro sobre a família dos pacientes; pais de crianças acometidas relatam dificuldades na disciplina e no cuidado com seus filhos, o que gera conflitos e altera a estrutura familiar (BRASIL, 2002; CAMPOS, et al., 2017; PÉREZ, et al., 2012; WATSON; KAPUR, 2011). Nesse sentido, o estudo da UEPA teve como finalidade mensurar, por meio de questionários validados, o impacto da dermatite atópica na qualidade de vida de pacientes pediátricos e seus responsáveis atendidos em um serviço de referência em dermatologia pediátrica localizado na Amazônia oriental.

Foi realizado um estudo descritivo e transversal com pacientes entre 5 e 16 anos de idade, de ambos os sexos, diagnosticados com critérios clínicos clássicos de dermatite atópica e também com seus responsáveis. Para avaliar a qualidade de vida, foram utilizados dois questionários produzidos e validados no Reino Unido — um deles respondido pelas crianças e o outro pelos responsáveis.

O estudo demonstrou claramente a correspondência entre a gravidade da doença e o impacto emocional no paciente e em seus respectivos responsáveis. “A dermatite atópica afeta a qualidade de vida de todos os envolvidos, até mesmo influenciando na dinâmica familiar. Isso ressalta a importância de incluir no exame clínico desses pacientes a avaliação da qualidade de vida”, afirma a doutora Carla Andréa Avelar Pires, uma das autoras da pesquisa.

Segundo a doutora Carla, por ser tema recorrente na prática clínica, a publicação de um estudo sobre dermatite atópica com enfoque na dermatologia pediátrica estimula a exposição do conhecimento e abrange o comportamento da doença com um olhar mais amplo, que inclui a qualidade de vida dos pacientes. “Quanto maior o conhecimento, maiores os benefícios tanto para a prevenção quanto para a adesão ao tratamento”, destacou. Os autores garantem que a educação de todos os indivíduos envolvidos no cuidado com a criança é fundamental no manejo da dermatite atópica. É essencial prover informação simples, clara e sem ambiguidades, com o objetivo de reduzir o impacto negativo na qualidade de vida familiar, já que a falta de conhecimento aumenta a ansiedade dos cuidadores e dificulta a adesão ao tratamento e os cuidados gerais, primordiais para o sucesso terapêutico.

“A partir do momento em que a qualidade de vida é alterada, a saúde não está estabelecida. O conhecimento da influência da dermatite atópica na dinâmica familiar deve incentivar até mesmo que políticas públicas de saúde sejam pensadas para amenizar ou controlar a doença. Entre elas, destacamos as políticas de educação em saúde, a educação permanente e a distribuição gratuita de restauradores da barreira cutânea”, finalizou a doutora Carla.

Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde – departamento de atenção básica. Dermatologia na atenção básica de saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2002.

PÉREZ, P. V., et al. Prevalencia de síntomas de dermatitis atópica en niños y adolescentes en La Habana (2002-2003). Rev Cubana Med Gen Integr. 2012, no. 28, pp. 42-51.

WATSON, W. and KAPUR, S. Atopic dermatitis. Allergy Asthma and Clin Immunol. 2011, vol. 7, Suppl 1, pp. S4.

Para ler o artigo, acesse:

CAMPOS, A. L. B., et al. Impacto da dermatite atópica na qualidade de vida de pacientes pediátricos e seus responsáveis. Rev. paul. pediatr. [online]. 2017, vol. 35, no. 1, pp. 5-10 [viewed 29 June 2017]. DOI: 10.1590/1984-0462/;2017;35;1;00006. Available from: http://ref.scielo.org/bzsbfs

Link externo

Revista Paulista de Pediatria – RPP: <http://www.scielo.br/rpp>

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

PIRES, C. A. A. Impacto da dermatite atópica na qualidade de vida de pacientes pediátricos e seus responsáveis [online]. SciELO em Perspectiva | Press Releases, 2017 [viewed ]. Available from: https://pressreleases.scielo.org/blog/2017/07/11/impacto-da-dermatite-atopica-na-qualidade-de-vida-de-pacientes-pediatricos-e-seus-responsaveis/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation