É a partir da infância que se constrói a longevidade

Por Maria Cecília de Souza Minayo, Editora-chefe e Luiza Gualhano, Assistente de comunicação, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

O conhecimento científico atual sobre os ciclos de vida avançou muito nos últimos anos, indicando a importância de dar continuidade dos cuidados para o desenvolvimento do ser humano em toda a sua existência. Por exemplo, a inteligência e a aquisição de habilidade verbal no início da infância, estão apoiadas na oferta de informação cognitiva e educacional, resultando em menos problemas de saúde física e mental e avanço da expectativa de vida (ASSIS, 2018).

Na perspectiva biomédica, a noção de continuidade do ciclo de vida deriva de conceitos biológicos, especialmente epigenéticos, em que reações inflamatórias e de sensibilidade diferenciada a sinais hormonais podem ocorrer frente a estresses vividos, como, por exemplo, no caso de carência alimentar ou violências (NEIVA-SILVA, et al., 2018) incorporando-se ao comportamento celular. Por isso, certos teóricos postulam que alguns momentos da vida, especialmente os iniciais, são críticos para os padrões que afetam a experiência e o comportamento posterior até a velhice (FERNÁNDEZ-CASTILLO; VILCHEZ-LARA, 2018; NEIVA-SILVA, et al., 2018). Relevante, porém é o recente conceito de plasticidade epigenética que inaugura a possibilidade de alterações em nível celular serem reversíveis quando o indivíduo é exposto a um ambiente positivo, tanto nas condições de vida quanto no seu ambiente social (ASSIS, 2018).

Este número temático da Ciência & Saúde Coletiva agrega artigos sobre os dois períodos extremos da vida. Saúde bucal e negligências e violências são temas debatidos por autores que investigam ambas faixas etárias (PLATT, et al., 2018; NEIVA-SILVA, et al., 2018). Dos que tratam sobre crianças e adolescentes destacam-se temas como amamentação, gravidez (ALVES; OLIVEIRA; RITO, 2018), aborto, religiosidade, consumo de bebidas alcoólicas, ideação suicida, depressão (LARA, et al., 2018); e cuidados de saúde. Investigações com idosos falam do impacto das quedas (CHEHUEN NETO, 2018) padecimento de dores e importância da atividade física (ABREU, 2018), alimentação, (ASSUMPÇÃO, 2018) dentre outros assuntos.

Os artigos apontam fragilidades e potencialidades dos extremos da vida que precisam ser visualizados como um processo contínuo e descontínuo, individual e social.

Referências

ABREU, D.R.O.M., et al. Internação e mortalidade por quedas em idosos no Brasil: análise de tendência. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2018, vol. 23, no. 4, pp. 1131-1141, ISSN: 1413-8123 [viewed 15 May 2018]. DOI: 10.1590/1413-81232018234.09962016. Available from: http://ref.scielo.org/9jpfsx

ALVES, J.S., OLIVEIRA, M.I.C. and RITO, R.V.V.F. Orientações sobre amamentação na atenção básica de saúde e associação com o aleitamento materno exclusivo. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2018, vol. 23, no. 4, pp. 1077-1088, ISSN: 1413-8123 [viewed 15 May 2018]. DOI: 10.1590/1413-81232018234.10752016. Available from: http://ref.scielo.org/znzn7f

ASSIS, S.G. Infância e longevidade: vulnerabilidades, continuidades e descontinuidades. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2018, vol. 23, no. 4, pp. 1016, ISSN: 1413-8123 [viewed 15 May 2018]. DOI: 10.1590/1413-81232018234.01392018. Available from: http://ref.scielo.org/r2rqg6

ASSUMPCÃO, D., et al. Fatores associados ao baixo peso em idosos comunitários de sete cidades brasileiras: Estudo FIBRA. Ciênc. saúde coletiva [online] 2018, vol. 23, no. 4, pp. 1143-1150, ISSN: 1413-8123 [viewed 15 May 2018]. DOI: 10.1590/1413-81232018234.17422016. Available from: http://ref.scielo.org/cffz4j

CHEHUEN NETO, J.A., et al. Percepção sobre queda e exposição de idosos a fatores de risco domiciliares. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2018, vol. 23, no. 4, pp. 1097-1104, ISSN: 1413-8123 [viewed 15 May 2018]. DOI: 10.1590/1413-81232018234.09252016. Available from: http://ref.scielo.org/fc8m7n

FERNÁNDEZ-CASTILLO, A. and VILCHEZ-LARA, M.J. Satisfacción con la atención en urgencias pediátricas: influencia del funcionamiento familiar y la alteración emocional. Ciênc. saúde coletiva [online] 2018, vol. 23, no. 4, pp. 1033-1044, ISSN: 1413-8123 [viewed 15 May 2018]. DOI: 10.1590/1413-81232018234.28492015. Available from: http://ref.scielo.org/yynmcg

LARA, G.A.G., et al. idal ideation and depressive symptoms among adolescents in Chiapas, Mexico. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2018, vol. 23, no. 4, pp. 1089-1096, ISSN: 1413-8123 [viewed 15 May 2018]. DOI: 10.1590/1413-81232018234.14492016. Available from: http://ref.scielo.org/3f9dp7

NEIVA-SILVA, L., et al. Experiência de gravidez e aborto em crianças, adolescentes e jovens em situação de rua. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2018, vol. 23, no. 4, pp. 1055-1066, ISSN: 1413-8123 [viewed 15 May 2018]. DOI: 10.1590/1413-81232018234.11342016. Available from: http://ref.scielo.org/xwxpxc

PLATT, V.B., et al. Violência sexual contra crianças: autores, vítimas e consequências. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2018, vol. 23, no. 4, pp. 1019-1031, ISSN: 1413-8123 [viewed 15 May 2018]. DOI: 10.1590/1413-81232018234.11362016. Available from: http://ref.scielo.org/dvbmd2

Para ler os artigos, acesse

Ciênc. saúde coletiva vol.23 no.4 Rio de Janeiro Apr. 2018

Link externo

Ciência & Saúde Coletiva – CSC: <http://www.scielo.br/csc>

 

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

MINAYO, M.C.S. and GUALHANO, L. É a partir da infância que se constrói a longevidade [online]. SciELO em Perspectiva | Press Releases, 2018 [viewed ]. Available from: https://pressreleases.scielo.org/blog/2018/05/15/e-a-partir-da-infancia-que-se-constroi-a-longevidade/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation