Como tratar hiperplasia fibrosa inflamatória em adolescentes?

Por Carla Vânia de Oliveira Figueiredo, Professora assistente de Odontopediatria, Universidade Tiradentes, Aracaju, SE, Brasil

Cirurgiões-dentistas de Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) de município do nordeste brasileiro relataram a ocorrência de rara patologia de tecido mole em adolescente, a hiperplasia fibrosa inflamatória. Tal alteração é citada em alguns estudos, com incidência entre 5% e 8% na população infantil (ATAÍDE, et al., 2016). O relato “Inflammatory fibrous hyperplasia: a rare case in a child” publicado pela RGO, Revista Gaúcha de Odontologia (vol. 67) vem alertar os cirurgiões dentistas quanto a essa ocorrência na população jovem.

Ao exame clínico, os autores observaram uma lesão com aumento de volume na mucosa do lábio superior, de consistência flácida, superfície lisa, de coloração e textura semelhantes às dos tecidos adjacentes e de forma arredondada. Verificaram ainda, a presença do incisivo central superior direito com erupção ectópica e bastante vestibularizado, totalmente coberto pela lesão localizada no lábio superior.

Fonte: FIGUEIREDO, et al., 2019.

Figura 1. (a) Aspecto clínico da lesão; (b) Incisivo central superior coberto pela lesão

Diante dos achados, o tratamento proposto foi a remoção cirúrgica da lesão, o material coletado no procedimento foi encaminhado para análise histopatológica. A realização de biópsia é de grande importância para o diagnóstico correto e definitivo de lesões de tecido vivo. Visto que, algumas lesões hiperplásicas têm características clínicas semelhantes e o diagnóstico muitas vezes é um desafio e são confirmados histologicamente. Vale ressaltar que a realização de biópsia na população pediátrica ainda é muito restrita e pouco frequente (PANDOVANI, et al., 2014).

Além dos achados clínicos, a lesão hiperplásica em lábio provocou alterações comportamentais na adolescente, com impacto negativo sobre sua qualidade de vida. Foram relatadas, fuga do convívio social, irritabilidade e vergonha de sorrir. De maneira semelhante ao comportamento relatado em outros estudos que avaliaram impacto de alterações bucodentais na qualidade de vida de adolescentes (BENSON, et al., 2015). Tais mudanças foram revertidas gradativamente, após o procedimento cirúrgico, com a retirada da lesão e o retorno do dente à posição fisiológica.

A literatura apresenta poucos estudos que tratam especificamente da hiperplasia fibrosa inflamatória e a maioria das publicações descreve esta patologia associada ao uso de próteses dentárias mal adaptadas, na população adulta. Com isso, os autores alertam para a possibilidade de esta patologia acometer crianças e adolescentes, desde que haja como fator causal um trauma crônico de baixa intensidade como, por exemplo, a presença de um dente mal posicionado.

Referências

ATAÍDE, A.P. et al. Distribution of oral and maxillofacial lesions in pediatric patients from a Brazilian southeastern population. Int J Pediatr Otorhinolaryngol [online]. 2016, vol. 90, pp. 241-244, ISSN: 0165-5876 [viewed 20 May 2019]. DOI: 10.1016/j.ijporl.2016.09.027. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27729142

BENSON, P.E., et al. Relationships between dental appearance, self-esteem, socio-economic status, and oral health-related quality of life in UK schoolchildren: A 3-year cohort study. Eur J Orthod [online]. 2015, vol. 37, no. 5, pp. 481-490, e-ISSN: 1460-2210 [viewed 20 May 2019]. DOI: 10.1093/ejo/cju076. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25481920

PADOVANI, M.C.R.L., et al. Prevalence of oral manifestations in soft tissues during early childhood in Brazilian children. Braz. oral res. [online]. 2014, vol. 28, no. 1, pp. 1-7, ISSN: 1806-8324 [viewed 20 May 2019]. DOI: 10.1590/1807-3107BOR-2014.vol28.0036. Available from: http://ref.scielo.org/f4n3dh

Para ler o artigo, acesse

FIGUEIREDO, C.V.O., et al. Inflammatory fibrous hyperplasia: a rare case in a child. RGO, Rev. Gaúch. Odontol. [online]. 2019, vol. 67, e2019005, ISSN: 1981-8637 [viewed 20 May 2019]. DOI: 10.1590/1981-86372019000053557. Available from: http://ref.scielo.org/5xpk5b

Link externo

RGO – Revista Gaúcha de Odontologia: <http://www.scielo.br/rgo>

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

FIGUEIREDO, C.V.O. Como tratar hiperplasia fibrosa inflamatória em adolescentes? [online]. SciELO em Perspectiva | Press Releases, 2019 [viewed ]. Available from: https://pressreleases.scielo.org/blog/2019/05/20/como-tratar-hiperplasia-fibrosa-inflamatoria-em-adolescentes/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation