Caso evidencia a possibilidade de reinfecção pelo novo coronavírus e recidiva da COVID-19

Por Fernando Bellissimo-Rodrigues, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil

Pelo grande número de indivíduos infectados e recuperados de COVID-19, há intensa discussão sobre a qualidade e a duração da imunidade induzida pelo SARS-CoV-2, incluindo a possibilidade de recorrência da doença. No artigo “Are SARS-CoV-2 reinfection and Covid-19 recurrence possible? a case report from Brazil”, publicado no volume 53 da Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, apresenta-se o estudo de um caso com fortes evidências clínicas, epidemiológicas e laboratoriais de reinfecção pelo SARS-CoV-2 e recidiva da COVID-19, desenvolvido por pesquisadores da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (USP).

Os pesquisadores organizaram um ambulatório junto ao Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto para dar seguimento aos sobreviventes da COVID-19 buscando descrever e tentar amenizar possíveis sequelas e sintomas persistentes nessa população (Projeto RECOVIDA). Foi nesse ambulatório que a paciente em questão foi atendida e descreveu que apresentava sintomas da doença pela segunda vez. Ao investigar o caso, os pesquisadores descobriram que ela havia tido contato com pessoas doentes de COVID-19 em dois momentos distintos, desenvolveu sintomas típicos da doença e testou positivo pelo PCR em ambas as ocasiões (Figura 1). Entre os dois episódios, a paciente passou 38 dias completamente normal, assintomática.

Imagem: BONIFÁCIO, L.P., et al.

Existem pelo menos três razões potenciais para explicar esse quadro clínico incomum. Primeiro, existe a possibilidade de uma única infecção persistente com recrudescência dos sintomas após algum tempo. Embora teoricamente possível, o fato de ela ter adoecido pela segunda vez cerca de uma semana depois de ficar em casa exposta a casos confirmados de COVID-19 torna essa explicação muito improvável.

Outra possível explicação seria que a recidiva fosse devido a outro vírus respiratório e o PCR poderia ser apenas residualmente positivo, ou mesmo falso positivo. Novamente, isso é possível, mas ela relatou contato próximo com um caso de COVID-19 e não com um caso de gripe ou de resfriado comum. Além disso, ela desenvolveu alterações de olfato e paladar, sintomas muito típicos da COVID-19.

A terceira explicação, que os pesquisadores julgam ser a mais plausível, é que se trate de um verdadeiro episódio de reinfecção pelo SARS-CoV-2, com recorrência clínica de COVID-19, à semelhança de poucos outros casos relatados no mundo (TAKEDA, et al., 2020; TO, et al., 2020; Duggan, et al, 2020). A reinfecção neste caso é apoiada por evidências epidemiológicas (contato com casos confirmados em ambas as circunstâncias e possível transmissão a uma terceira pessoa no segundo episódio), evidências clínicas (recorrência dos sintomas típicos) e evidências laboratoriais (resultados virológicos e sorológicos positivos, cronologicamente alinhados), que cumprem os critérios propostos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para a definição de caso de COVID-19.

O entendimento dos casos de reinfecção pelo SARS-CoV-2 e o porquê de eles acontecerem pode contribuir para nortear a fabricação de vacinas mais efetivas contra a COVID-19. Os pesquisadores agora estão coletando informações detalhadas sobre casos semelhantes a esse para encontrar respostas a essas perguntas.

Referências

DUGGAN, N.M., et al. A case report of possible novel coronavirus 2019 reinfection. Am J Emerg Med [online]. 2020, in press [viewed 14 October 2020]. DOI: 10.1016/j.ajem.2020.06.079. Available from: https://www.ajemjournal.com/article/S0735-6757(20)30583-0/fulltext

TAKEDA, C.F.V., et al. Case Report: Recurrent Clinical Symptoms of COVID-19 in Healthcare Professionals: A Series of Cases from Brazil. Am J Trop Med Hyg [online]. 2020, in press [viewed 14 October 2020]. DOI: 10.4269/ajtmh.20-0893. Available from: http://www.ajtmh.org/content/journals/10.4269/ajtmh.20-0893

TO, K.K.W., et al. COVID-19 re-infection by a phylogenetically distinct SARS-coronavirus-2 strain confirmed by whole genome sequencing. Clin Infect Dis. [online]. 2020, ahead of print, ciaa1275[viewed 14 October 2020]. DOI: 10.1093/cid/ciaa1275. Available from: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32840608/

Para ler o artigo, acesse

Bonifácio, L.P., et al. Are SARS-CoV-2 reinfection and Covid-19 recurrence possible? a case report from Brazil. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. [online]. 2020, vol. 53, e20200619, ISSN: 0037-8682 [viewed 14 October 2020]. DOI: 10.1590/0037-8682-0619-2020. Available from: http://ref.scielo.org/hphdyk

Links externos

Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical <www.rsbmt.org.br>

Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical RSBMT <https://www.scielo.br/rsbmt>

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

RODRIGUES, F.B. Caso evidencia a possibilidade de reinfecção pelo novo coronavírus e recidiva da COVID-19 [online]. SciELO em Perspectiva | Press Releases, 2020 [viewed ]. Available from: https://pressreleases.scielo.org/blog/2020/10/14/caso-evidencia-a-possibilidade-de-reinfeccao-pelo-novo-coronavirus-e-recidiva-da-covid-19/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation