Acessível e de baixo custo, o polietilenoglicol tem efeito antioxidante e preventivo de lesões no fígado induzidas pelo metotrexato

Rosa Emilia Moraes, jornalista de ciência em Linceu Editorial, São José dos Campos, SP, Brasil.

Logo do periódico Acta Cirúrgica BrasileiraA lesão hepática induzida por drogas é uma condição frequente que chega a abranger 5% de todos os casos de danos ao fígado (KATAREY; VELMA, 2016) e pode ser fatal quando não tratada.

O metotrexato (MTX) é um agente antimetabólito sintético de primeira linha aplicado rotineiramente no tratamento de alguns tipos de câncer, artrite reumatoide e outras doenças autoimunes e inflamatórias crônicas como a psoríase. Porém, entre os efeitos colaterais dessa substância, o mais grave é a hepatotoxicidade, podendo levar o paciente à fibrose hepática progressiva e cirrose (LERTNAPAWAN; CHONPRASERTSUK; SIRAMOLPIWAT, 2019).

Atualmente, há diversos medicamentos que são utilizados para prevenir os efeitos tóxicos do metotrexato. O polietilenoglicol (PEG) é uma substância segura, de efeito laxativo osmótico amplamente utilizado na medicina, e que também possui efeitos antioxidantes. Trata-se de um medicamento acessível, eficaz e de baixo custo, cuja performance como agente preventivo da hepatotoxicidade já tem sido registrada na literatura científica.

No artigo Antifibrotic preventive effect of polyethylene glycol (PEG) 3350 in methotrexateinduced hepatoxicity model, publicado na Acta Cirúrgica Brasileira (vol. 37, no. 5), cientistas da Turquia propõem uma análise histopatológica e bioquímica inédita, focada no efeito antifibrótico do PEG 3350 para prevenir os danos hepáticos induzidos por metotrexato.

Seis imagens de microscópio lado a lado. Fundo rosa com pequenas manchas brancas e pequenos círculos roxos em cada uma. As images têm diferentes aproximações. Na terceira e na quarta, uma forma roxa mais alongada. Na última, uma forma branca em formato oval.

Imagem: autores.

Figura 1. Histopatologia hepática hematoxilina e eosina (ampliação de 20x e 40x). (a e b) Fígado normal, veia central (CV) e veia porta (PV); (c e d) os grupos metotrexato e solução salina apresentam necrose em ponte, fibrose e infiltração celular na área portal (PV) (seta); (e e f): os grupos metotrexato e polietilenoglicol diminuíram a fibrose da necrose em ponte e a infiltração celular na área portal (PV) (seta).

A pesquisa foi realizada no laboratório do Centro de Pesquisa e Aplicação de Animais Experimentais da Istanbul Bilim University, utilizando ratos Wistar machos albinos, na mesma faixa de peso e idade. Dez serviram como grupo de controle, enquanto os outros 20 tiveram induzida a lesão hepática por metotrexato. Dentre estes, 10 receberam o PEG 3350 e 10 tiveram apenas uma solução salina (NaCl) administrada peritonealmente durante duas semanas.

Análises da histopatologia tecidual do fígado demonstraram níveis significantemente maiores de necrose de hepatócitos, fibrose e infiltração celular no grupo que recebeu a solução salina em relação aos indivíduos tratados com o PEG. Neste último, a incidência de necrose em ponte, fibrose e infiltração celular na área portal também foram menores.

Já a análise bioquímica feita a partir de amostra de sangue, retirada por punção cardíaca, confirmou que os níveis indicativos de dano ALT, TNF-α e TGF-β, bem como os níveis plasmáticos de MDA, MDA hepático e pentraxina-3, que indicam estresse oxidativo, foram significativamente menores no grupo que recebeu o PEG em comparação ao grupo salina.

Tais resultados, ilustrados no estudo com figuras e tabelas, permitem aos autores concluírem que o polietilenoglicol é eficaz na prevenção de lesões hepáticas por toxicidade, não apenas no caso do MTX, mas também com outras substâncias que provocam lesões no fígado por desencadear o estresse oxidativo das células do órgão.

Assim, embora os achados apresentados ainda estejam limitados a pesquisas com ratos, seus dados contribuem para aumentar o conhecimento dos efeitos do PEG na prevenção da toxicidade hepática, convocando ao aprofundamento dos estudos.

Referências

KATAREY D. and VERMA S. Drug-induced liver injury. Clin Med [online]. 2016, vol. 16, no. 6, pp. s104–s109 [viewed 9 September 2022]. https://doi.org/10.7861/clinmedicine.16-6-s104. Available from: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/1756-185X.13442

LERTNAWAPAN R., CHONPRASERTSUK S. and SIRAMOLPIWAT S. Association between cumulative methotrexate dose, non-invasive scoring system and hepatic fibrosis detected by Fibroscan in rheumatoid arthritis patients receiving methotrexate. Int J Rheum Dis [online]. 2019, vol. 22, no. 2, pp. 214-221 [viewed 9 September 2022]. https://doi.org/10.1111/1756-185X.13442. Available from: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/1756-185X.13442

Para ler o artigo, acesse

ACAR, H., et al. Antifibrotic preventive effect of polyethylene glycol (PEG) 3350 in methotrexateinduced hepatoxicity model. Acta Cirúrgica Brasileira [online]. 2022, vol. 37, no. 5, e370507 [viewed 9 September 2022]. https://doi.org/10.1590/acb370507. Available from: https://www.scielo.br/j/acb/a/m7RqWZRRX8RBXHNsRGQnLhQ/

Links externos

Istanbul Bilim University (Demiroğlu Bilim Üniversitesi): https://demiroglu.bilim.edu.tr/

Acta Cirurgica Brasileira – ACB: https://www.scielo.br/j/acb/

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

MORAES, R.E. Acessível e de baixo custo, o polietilenoglicol tem efeito antioxidante e preventivo de lesões no fígado induzidas pelo metotrexato [online]. SciELO em Perspectiva | Press Releases, 2022 [viewed ]. Available from: https://pressreleases.scielo.org/blog/2022/09/09/acessivel-e-de-baixo-custo-o-polietilenoglicol-tem-efeito-antioxidante-e-preventivo-de-lesoes-no-figado-induzidas-pelo-metotrexato/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation