Interação eletrostática determina recobrimento proteico de micropartículas de alginato por gelificação iônica

Por Carlos Grosso, Professor colaborador, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação em Tecnologia de Alimentos Londrina (PPGTAL), Londrina, PR, BrasilLogo of the Ciência Rural journal

O artigo “Produção e caracterização de micropartículas de alginato obtidas por gelificação iônica e adsorção eletrostática de concentrado proteico de soja”, publicado na Ciência Rural (vol. 48, no. 12), variou o teor de cálcio utilizado na gelificação iônica de micropartículas de alginato (AG) e o pH usado para o recobrimento eletrostático com uma camada proteica. Para chegar a esse resultado, os pesquisadores produziram micropartículas de alginato testando-as sob três diferentes teores de cálcio (0,8; 1,6 e 2,4% m/m) e dois tipos de pH (3,5 e 7,0). Os pesquisadores caracterizaram as micropartículas quanto à morfologia, tamanho médio, sua distribuição e teor de proteína adsorvida nas situações estudadas. O pH foi o fator mais determinante na adsorção proteica, com adsorções muito maiores em pH 3,5 comparado ao pH 7.

Para o pesquisador Carlos Grosso, na prática, o estudo fornece orientações para produzir materiais protetores mais eficientes para encapsular micro-organismos probióticos, ácidos graxos essenciais como os ômega 3, entre outros. A inovação está em utilizar proteínas de fontes vegetais e um método de observação microscópica melhorada.

Diversos estudos vêm se dedicando a estudar a encapsulação de microorganismos probióticos, a nível mundial. Recentemente, Zangh, et al. (2016) estudaram os efeitos do pH na estabilidade e retenção de proteínas no processo de microencapsulação, Krasaekoopt, Bhandari e Deeth (2003) avaliou técnicas de encapsulação de probióticos de iogurte e Doherty, et al. (2012) dedicou-se ao estudo do efeito do uso de proteína de soro de leite na sobrevivência de microrganismos probióticos encapsulados e adicionados a sucos de frutas durante o armazenamento. Esse estudo mostra a eficiência do pH neste processo.

Referências

DOHERTY, S.B., et al. Application of whey protein micro-bead coatings for enhanced strength and probiotic protection during fruit juice storage and gastric incubation. J Microencapsul [online]. 2012, vol. 29, no. 8, pp. 713-728, [viewed 22 January 2019]. DOI: 10.3109/02652048.2011. 638994. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22970750

KRASAEKOOPT, W., BHANDARI, B. and DEETH, H. Evaluation of encapsulation techniques of probiotics for yoghurt. International Dairy Journal [online]. 2003, vol. 13, no. 1, pp. 3-13 [viewed 22 January 2019]. DOI: 10.1016/S0958-6946(02)00155-3. Available from: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0958694602001553

ZHANG, Z., et al. Protein encapsulation in alginate hydrogel beads: Effect of pH on microgel stability, protein retention and protein release. Food Hydrocolloids [online]. 2016, vol. 58, pp. 308-315, [viewed 22 January 2019]. DOI: 10.1016/j.foodhyd.2016.03.015. Available from: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0268005X16300935

Para ler o artigo, acesse

SILVERIO, G.B., et al. Produção e caracterização de micropartículas de alginato obtidas por gelificação iônica e adsorção eletrostática de concentrado proteico de soja. Cienc. Rural [online]. 2018, vol. 48, no. 12, e20180637, ISSN: 0103-8478 [viewed 22 January 2019]. DOI: 10.1590/0103-8478cr20180637. Available from: http://ref.scielo.org/sbxkqn

Link externo

Ciência Rural – CR: <http://www.scielo.br/cr>

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

GROSSO, C. Interação eletrostática determina recobrimento proteico de micropartículas de alginato por gelificação iônica [online]. SciELO em Perspectiva | Press Releases, 2019 [viewed ]. Available from: https://pressreleases.scielo.org/blog/2019/01/21/interacao-eletrostatica-determina-recobrimento-proteico-de-microparticulas-de-alginato-por-gelificacao-ionica/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation