A mediação sociocultural na saúde e na doença

Por Maria Cecília de Souza Minayo, Editora-chefe e Luiza Gualhano, Assistente de comunicação, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Ciência & Saúde Coletiva (vol. 24, no. 9) apresenta artigos, que são atravessados por categorias típicas da epidemiologia e da estatística como inquérito, evidência, fatores associados, risco, incidência, prevalência, variáveis sociodemográficas, clínicas e outras. A ideia aqui é tomar distância das questões práticas que os autores trabalham e pensar nas condições de pesquisa que permitem a aproximação entre dados quantificados — frequentemente tomados como verdades absolutas — e valorizar o ser humano do qual eles falam.

É a isso que se refere o título da edição temática, lembrando a expressão de Bolstanski (1979), segundo a qual, a ordem biológica precisa da mediação do cultural que a transforma em regras, proibições, repulsas, gostos ou aversões. Dentre os textos reflexivos sobre o assunto cito, por sua importância, o de Nunes (2019) “Fronteiras do Conhecimento e Saúde Coletiva” no qual o autor disserta sobre a desejável integração das disciplinas de modo a facilitar a identificação de semelhanças e diferenças teoricamente iluminadoras dos níveis sociopsicológicos, culturais e estruturais em relação a contextos e tipos de grupos. O foco nas fronteiras disciplinares quando olhadas como possibilidades, permite cruzá-las, mudá-las, territorializá-las, politizá-las, negá-las e até institucionalizá-las.

Este tom de encontro e atravessamento se encontra em vários autores deste número, ao tratarem assuntos tão sensíveis como iniquidades sociais que se expressam no consumo alimentar (CANUTO; FANTON; LIRA, 2019); internações na primeira infância por condições sensíveis à atenção primária (LÔBO, et al., 2019); implicações para assistência dos usuários da proposta de descriminalização de drogas (MENDES, et al., 2019); associação entre anemia e problemas de autonomia e funcionalidade em idosos (BRAZ; DUARTE; CORONA, 2019); sintomas depressivos em idosos residentes em instituições de longa permanência (GUIMARÃES, et al., 2019), dentre tantos outros.

Não se pode desconhecer que doença sempre “dá em gente” e, portanto o humano não pode ficar subsumido aos números, sob pena de se fazer uma ciência sem carne e sem alma — só no osso — como ensinava Malinowiski (1980) nos primórdios de institucionalização da antropologia moderna.

Ancorada nas teorias mais modernas do campo científico, o periódico Ciência & Saúde Coletiva tem aberto espaços temáticos que permitem a integração de disciplinas e o cruzamento de fronteiras, por entender que essa postura não limita os impactos da saúde pública. Ao contrário, permite o compartilhamento de evidências. Sua posição no campo atua na convivência das diferenças e no hibridismo dos conceitos, entrando, por conseguinte, na seara epistemológica.

Referências

BOLTANSKI, I. As classes sociais e o corpo. Rio de Janeiro: Editora Graal, 1979.

BRAZ, V.L., DUARTE, Y.A.O. and CORONA, L.P. A associação entre anemia e alguns aspectos da funcionalidade em idosos. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2019, vol. 24, no. 9, pp. 3257-3264, ISSN: 1413-8123 [viewed in 17 September 2019]. DOI: 10.1590/1413-81232018249.21142017. Available from: http://ref.scielo.org/7nydgb

CANUTO, R., FANTON, M. and LIRA, P.I.C. Iniquidades sociais no consumo alimentar no Brasil: uma revisão crítica dos inquéritos nacionais. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2019, vol. 24, no. 9, pp. 3193-3212, ISSN: 1413-8123 [viewed in 17 September 2019]. DOI: 10.1590/1413-81232018249.26202017. Available from: http://ref.scielo.org/y65rw5

GUIMARÃES, L.A., et al. Sintomas depressivos e fatores associados em idosos residentes em instituição de longa permanência. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2019, vol. 24, no. 9, pp. 3275-3282, ISSN: 1413-8123 [viewed in 17 September 2019]. DOI: 10.1590/1413-81232018249.30942017. Available from: http://ref.scielo.org/474yh8

LÔBO, I.K.V., et al. Internações por Condições Sensíveis à Atenção Primária de Menores de um ano, de 2008 a 2014, no estado de São Paulo, Brasil. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2019, vol. 24, no. 9, pp. 3213-3226, ISSN: 1413-8123 [viewed in 17 September 2019]. DOI: 10.1590/1413-81232018249.29932017. Available from: http://ref.scielo.org/vs2qzr

MALINOWISKI, B. Os argonautas do Pacífico. São Paulo: Editora Abril, 1980.

MENDES, R.O., et al. Revisão da literatura sobre implicações para assistência de usuários de drogas da descriminalização em Portugal e Brasil. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2019, vol. 24, no. 9, pp. 3395-3406, ISSN: 1413-8123 [viewed in 17 September 2019]. DOI: 10.1590/1413-81232018249.27472017. Available from: http://ref.scielo.org/h93vfn

NUNES, E.D. Fronteiras do Conhecimento e Saúde Coletiva. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2019, vol. 24, no. 9, pp. 3179-3182, ISSN: 1413-8123 [viewed in 17 September 2019]. DOI: 10.1590/1413-81232018249.19102019. Available from: http://ref.scielo.org/xstkt2

Para ler os artigos, acesse

Ciênc. saúde coletiva vol.24 no.8 Rio de Janeiro set. 2019

Link externo

Ciência & Saúde Coletiva – CSC: <http://www.scielo.br/csc>

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

MINAYO, M.C.S. and GUALHANO, L. A mediação sociocultural na saúde e na doença [online]. SciELO em Perspectiva | Press Releases, 2019 [viewed ]. Available from: https://pressreleases.scielo.org/blog/2019/09/17/a-mediacao-sociocultural-na-saude-e-na-doenca/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation