HIV em adolescentes e adultos: recomendações para diagnóstico e tratamento da infecção no Brasil

Isis Polianna Silva Ferreira de Carvalho, Editora associada da Epidemiologia e Serviços de Saúde: revista do Sistema Único de Saúde do Brasil (RESS), Ministério da Saúde, Brasília, DF, Brasil.

A epidemia de HIV/aids no Brasil é considerada estável em nível nacional. Desde o ano de 2012, observa-se uma diminuição da taxa de detecção de aids no país, possivelmente como consequência da recomendação do tratamento para todos os casos diagnosticados da doença, independentemente de critérios clínicos e imunológicos. Em 2018, havia aproxima­damente 900 mil pessoas vivendo com HIV (PVHIV) no Brasil, das quais 85% estavam diagnosticadas e 81% estavam vinculadas a um serviço de saúde. Esses dados estão apresentados no artigo intitulado “Protocolo Brasileiro para Infecções Sexualmente Transmissíveis 2020: infecção pelo HIV em adolescentes e adultos, de Pinto Neto, et al. (2021), publicado no periódico Epidemiologia e Serviços de Saúde: revista do Sistema Único de Saúde do Brasil (RESS, vol. 30, no.spe1). O artigo apresenta aspectos epidemiológicos e clínicos da infecção pelo HIV, com ênfase em orientações direcionadas para profissionais de saúde e gestores sobre diagnóstico, tratamento, vigilância, prevenção e controle da doença.

O artigo compõe o número especial sobre Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), com temas contemplados no Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) para atenção integral às pessoas com IST, publicado pelo Ministério da Saúde do Brasil em 2020. Este número é uma publicação simultânea na RESS, em português e espanhol, e na Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (RSBMT), em inglês. No âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), os PCDT são diretrizes clínicas baseadas em evidências, elaboradas com rigor metodológico, que têm como objetivo principal orientar os profissionais de saúde, gestores e usuários sobre a melhor prática em saúde à luz do conhecimento científico mais atual e confiável.

Imagem: PNGWING.

O artigo destaca a importância do diagnóstico para detecção precoce da infecção pelo HIV. A testagem deve ser ampla e ágil, sem coerção ou discriminação, e está recomendada para qualquer pessoa sexualmente ativa, em especial aquelas com alto risco de infecção pelo HIV, como as que apresentam sintomas de infecção aguda ou crônica, gestantes, pessoas com IST e aquelas pertencentes a grupos populacionais específicos, nos quais atualmente estão concentrados os casos de HIV, a exemplo de profissionais do sexo, homens que fazem sexo com homens, pessoas transexuais e pessoas que usam álcool e outras drogas.

Sobre o tratamento, necessário para redução da morbidade e mortalidade e para prevenção da transmissão do HIV para outras pessoas, um grande desafio é a adesão à terapia antirretroviral, que é condição essencial para o sucesso e deve ser abordada desde a primeira consulta. Considerando-se que a infecção pelo HIV se tornou uma doença crônica, é importante alertar que seu tratamento deve considerar comorbidades comuns na prática clínica, como doenças cardiovasculares, hi­pertensão arterial, diabetes e dislipidemia. Dessa forma, é fundamental que seja realizada abordagem integral às PVHIV, alinhada aos princípios da atenção primária à saúde.

Para mais detalhamento das informações apresentadas, clique aqui para acessar o artigo na íntegra. Não deixe de conhecer os outros artigos publicados neste número especial, cujo principal objetivo é fornecer informações baseadas nas melhores evidências para profissionais envolvidos no cuidado às pessoas com IST.

Para ler o artigo, acesse

NETO, L. F. S. P. et al. Protocolo Brasileiro para Infecções Sexualmente Transmissíveis 2020: infecção pelo HIV em adolescentes e adultos. Epidemiol. Serv. Saúde [online]. 2021, vol.30, n.spe1 [viewed 17 March 2021]. https://doi.org/10.1590/s1679-4974202100013.esp1. Available from: http://ref.scielo.org/dckhg2

Links Externos

Diretrizes Metodológicas – Elaborações de Diretrizes Clínicas: http://conitec.gov.br/images/Relatorios/2016/Diretrizes_Metodologicas_WEB.pdf

Epidemiologia e Serviços de Saúde – RESS: https://www.scielo.br/ress

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Atenção Integral às Pessoas com Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST): http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2015/protocolo-clinico-e-diretrizes-terapeuticas-para-atencao-integral-pessoas-com-infeccoes

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

CARVALHO, I. P. S. F. HIV em adolescentes e adultos: recomendações para diagnóstico e tratamento da infecção no Brasil [online]. SciELO em Perspectiva | Press Releases, 2021 [viewed ]. Available from: https://pressreleases.scielo.org/blog/2021/03/29/hiv-em-adolescentes-e-adultos-recomendacoes-para-diagnostico-e-tratamento-da-infeccao-no-brasil/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation