Pesquisa avalia qualidade microbiológica de carne bovina embalada a vácuo de Mato Grosso

Por Eduardo Eustaquio S. Figueiredo, Professor, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, MT, BrasilLogo of the Ciência Rural journal

Os pesquisadores submeteram um total de 60 amostras de carne bovina a contagem de coliformes a 35ºC e a 45ºC, pesquisa de Escherichia coli e Salmonella spp. Como referências, os pesquisadores utilizaram o Regulamento técnico sobre as normas microbiológicas para alimentos, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) (BRASIL, 2001), e os estudos sobre coliformes em carne bovina de Jones, et al. (2014) e de detecção de Salmonella entérica de Guo, et al. (2000).

As contagens médias de bactérias do grupo coliforme atenderam as legislações nacionais e internacionais vigentes. Houve, ainda uma baixa ocorrência de E. coli, identificada em cinco amostras (8,3%), e Salmonella spp, em três amostras (5%). Esses resultados indicam que existe um baixo risco de infecção alimentar transmitida por esse produto.

Para o pesquisador Eduardo Figueiredo, os resultados do estudo podem agregar bastante ao setor de produção de carne bovina brasileiro, fazendo-o rever suas práticas de fabricação ou direcionando ações fiscalizatórias do governo. O Estado do Mato Grosso se destaca como o maior produtor de carne bovina do Brasil, maior exportador mundial desse produto. “A manutenção desse mercado é fundamental para a economia brasileira, principalmente após os últimos acontecimentos relativos a operação ‘carne fraca’”, pontua o pesquisador. “A garantia dessa competitividade só é possível quando o produto atende às exigências de qualidade dos consumidores, o que foi, de certa forma, comprovado pelo nosso estudo”.

A pesquisa intitulada “Condições higiênico sanitárias de carne embalada a vácuo produzida por abatedouros frigoríficos habilitados a exportação no estado de Mato Grosso, Brasil”, publicada na Ciência Rural (vol. 48, no. 4), inova ao avaliar a qualidade microbiológica de carne bovina embalada a vácuo recém-produzida, gerando informações sobre as condições higiênicas e sanitárias do processamento industrial. Além disso, ela se focou na carne embalada a vácuo, considerada uma importante forma de comercialização da carne bovina que, segundo Eduardo, tem sido pouco investigada por pesquisas do ramo.

Referências

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Regulamento técnico sobre padrões microbiológicos para alimentos. 2001 [viewed 12 July 2018]. Available from: http://portal.anvisa.gov.br/documents/33880/2568070/RDC_12_2001.pdf/15ffddf6-3767-4527-bfac-740a0400829b

GUO, X., et al. PCR detection of Salmonella enterica serotype Montevideo in and on raw tomatoes using primers derived from hila. Applied and Environmental Microbiology [online]. 2000, vol. 66, no. 12, pp. 5248-5252, eISSN: 1098-5336 [viewed 12 July 2018]. DOI: 10.1128/AEM.66.12.5248-5252.2000. Available from: http://aem.asm.org/content/66/12/5248.full

JONES, T.H., et al. Numbers of coliforms, Escherichia coli, F-RNA phage, rotavirus, bovine enteric calicivirus and presence of non-O157 STEC on commercial vacuum packaged beef. Food Microbiol [online]. 2014, vol. 42, pp. 225-231, ISSN: 0740-0020 [viewed 12 July 2018]. DOI: 10.1016/j.fm.2014.04.001. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24929741

Para ler o artigo, acesse

MACHADO, M.A.M., et al. Condições higiênico sanitárias de carne embalada a vácuo produzida por abatedouros frigoríficos habilitados a exportação no estado de Mato Grosso, Brasil. Cienc. Rural [online]. 2018, vol. 48, no. 4, e20170526, ISSN: 0103-8478 [viewed 12 July 2018]. DOI: 10.1590/0103-8478cr20170526. Available from: http://ref.scielo.org/kkp2ym

Link externo

Ciência Rural – CR: <http://www.scielo.br/cr>

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

FIGUEIREDO, E.E. Pesquisa avalia qualidade microbiológica de carne bovina embalada a vácuo de Mato Grosso [online]. SciELO em Perspectiva | Press Releases, 2018 [viewed ]. Available from: https://pressreleases.scielo.org/blog/2018/07/12/pesquisa-avalia-qualidade-microbiologica-de-carne-bovina-embalada-a-vacuo-de-mato-grosso/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation