Quais são os parâmetros mínimos para pesquisas com minhocas?

Por Fábio Reynol, Jornalista, Secretaria de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa, Brasília, DF; e George Brown, Pesquisador, Embrapa Florestas, Colombo, PR, Brasil

A presença de minhocas é frequentemente associada à boa qualidade do solo. Porém, para que a ciência possa atestar essa associação e usar esses animais como bioindicadores, são necessárias uma série de informações que nem sempre são coletadas. Por isso, um grupo de pesquisadores propôs uma lista de mais de 30 tipos de atributos a serem verificados nos estudos com minhocas a fim de que se tenha uma base sólida e comparável de resultados. Os cientistas fizeram uma revisão literária de mais de 124 trabalhos publicados que coletaram mais de 7.300 amostras em cerca de 765 locais do Brasil. Os estudos envolveram diferentes tipos de solo, clima e uso e manejo da terra.

Os resultados estão no artigo “Recommendations for assessing earthworm populations in Brazilian ecosystems”, publicado no periódico Pesquisa Agropecuária Brasileira (vol. 55). Nesse universo analisado, eles descobriram que apenas 24% dos estudos identificaram as minhocas e somente 31% deles avaliou a sua biomassa. “Nosso dilema é como comparar resultados com dados tão diferentes. Para isso, foram selecionados os atributos considerados essenciais para serem registrados pelos estudos com minhocas”, conta o agrônomo George Brown pesquisador da Embrapa Florestas (PR), que participou do estudo. Entre os atributos básicos recomendados pelos cientistas, estão coordenadas geográficas, densidade e biomassa das minhocas, teores de alguns elementos químicos presentes no solo e até dados históricos sobre o manejo e preparo do solo. “Precisamos saber se aquele solo recebeu fertilizantes ou defensivos, de que tipo e em que quantidade. Sabemos que isso interfere muito e alguns podem ser tóxicos para as minhocas”, detalha Brown.

Imagem: NADOLNY, et al., 2020.

Uma mesma fazenda pode apresentar diferentes usos da terra, o que também influencia na incidência dos anelídeos. “Na área são desenvolvidos sistemas florestais, agroflorestais ou somente culturas agrícolas anuais? Cada um deles pode afetar as minhocas de um modo diferente e, consequentemente, a comparabilidade entre os estudos”. Para Brown, a maior contribuição desse estudo é propor uma padronização mínima e eficaz para futuros estudos com minhocas. Ele conta que já há atributos estabelecidos em sistemas como o da International Organization for Stardardisation (ISO, 2018), no entanto, a proposta da pesquisa é mais completa. A ISO não inclui, por exemplo, medição dos teores de nitrogênio no solo, nem coleta de dados sobre práticas de manejo (como tipo de preparo do solo ou agrotóxicos usados), elementos fundamentais para a sobrevivência dos anelídeos. Cerca de 11% do peso seco do animal é nitrogênio, essencial para que a minhoca realize suas atividades. Ajuda a manter a pele do animal pele umedecida e é matéria prima para a amônia que liberam ao solo.

A expectativa dos pesquisadores é que os atributos que forem coletados em diversos estudos científicos alimentem um enorme banco de dados nacional. A qualidade aprimorada dessa informação permitirá estabelecer associações relacionadas às minhocas. “A ideia não é substituir as análises de solo, mas por meio da presença das minhocas ter uma boa ideia da qualidade do solo e de alguns de seus atributos de maneira rápida e prática,” esclarece Brown. O estudo concluiu que os estudos que envolvam minhocas devem conter, pelo menos, os atributos a seguir: data da amostragem; coordenadas geográficas; cobertura vegetal; tipo do solo; manejo do solo, incluindo preparo do solo e uso de fertilizantes e agrotóxicos; tamanho, número e profundidade de amostragem; densidade e biomassa fresca das minhocas; granulometria (teores de areia, argila e silte) e teor de umidade do solo; pH, capacidade de troca de cátions e teores trocáveis de potássio (K), Cálcio (Ca), magnésio (Mg) e fósforo (P) e de Carbono (C) e nitrogênio (N) totais do solo.

Referências

ISO 23611- 1:2018: Soil quality: sampling of soil invertebrates: Part 1: Hand-sorting and extraction of earthworms. 2nd ed. International Organization for Standardization (ISO): Brussels, 2018.

Para ler o artigo, acesse

NADOLNY, H., et al. Recommendations for assessing earthworm populations in Brazilian ecosystems. Pesq. agropec. bras. [online]. 2020, vol. 55, e01006, ISSN: 1678-3921 [viewed 25 September 2020]. DOI: 10.1590/s1678-3921.pab2020.v55.01006. Available from: http://ref.scielo.org/j74qv2

Links externos

Pesquisa Agropecuária Brasileira <https://seer.sct.embrapa.br/index.php/pab>

Pesquisa Agropecuária Brasileira – PAB <http://www.scielo.br/pab>

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

REYNOL, F. and BROWN, G. Quais são os parâmetros mínimos para pesquisas com minhocas? [online]. SciELO em Perspectiva | Press Releases, 2020 [viewed ]. Available from: https://pressreleases.scielo.org/blog/2020/09/25/quais-sao-os-parametros-minimos-para-pesquisas-com-minhocas/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation