Estudo testa os efeitos de diferentes conservantes para leite

Por Maria Luiza De Grandi, Jornalista do periódico Ciência Rural, Santa Maria, RS, Brasil e Franciele Rampazzo Vancin, Médica Veterinária, Gerente técnica do laboratório estadual da qualidade do leite, Universidade do Contestado (UnC), Concórdia, SC, Brasil

Logo of the Ciência Rural journal

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil possui instruções normativas que indicam que amostras de leite destinadas ao processamento nos estabelecimentos inspecionados pelo governo federal devem passar por análises mensais em laboratórios credenciados (BRASIL, 2002). A conservação das amostras de leite destinadas para essas análises microbiológicas requer adição de conservantes para a preservação da microbiota existente desde o momento da coleta até as análises. Com o objetivo de avaliar o potencial de conservação, pesquisadores da Universidade de Passo Fundo (UPF) e da Universidade do Contestado (UnC) utilizaram diferentes concentrações de conservantes a base de azida sódica e cloranfenicol sobre a vida útil analítica de amostras de leite, em duas fazendas, sendo uma com baixa contagem bacteriana e outra com alta contagem bacteriana e os resultados são apresentados no artigo “Efeitos de diferentes concentrações de azida sódica e cloranfenicol na preservação de amostras de leite cru”, publicado no periódico Ciência Rural (vol. 50, no. 2).

Motivados pela possibilidade de aumento da vida analítica das amostras, os pesquisadores testaram três concentrações do conservante utilizado para preservação de amostras de leite in natura (leite cru), na dose usual, na dose dupla e na dose tripla dos componentes azida sódica e cloranfenicol. De acordo com a pesquisadora Franciele Vancin, os resultados mostraram que a dose tripla apresentou a melhor condição para a preservação das amostras, prolongando sua vida útil analítica até o 12° (décimo segundo) dia após a coleta, quando mantidas em refrigeração com temperatura de 3°C (três graus).

Imagem: Franciele Vancin

A efetividade na preservação das amostras proporciona maior segurança na determinação do resultado, e consequentemente reporta as reais condições de produção do leite, o que torna a pesquisa de suma importância. “A inovação desta pesquisa se dá pela possibilidade de representar uma alternativa viável para a agroindústria, levando em consideração a morosidade do processo desde a coleta até o ensaio de um produto altamente perecível, como é o caso do leite in natura”, destaca Franciele.

Referência

BRASIL. Ministério Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa Nº 51, de 18 de setembro de 2002. Available from: https://bit.ly/2T0TBHf

Para ler o artigo, acesse

VANCIN, F.R., et al. Efeitos de diferentes concentrações de azida sódica e cloranfenicol na preservação de amostras de leite cru. Cienc. Rural [online]. 2020, vol. 50, no. 2, ISSN: 0103-8478 [viewed 13 May 2020]. DOI: 10.1590/0103-8478cr20190425. Available from: http://ref.scielo.org/v4kmx7

Links externos

Ciência Rural – CR: <http://www.scielo.br/cr>

Ciência Rural <http://coral.ufsm.br/ccr/cienciarural/>

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

DE GRANDI, M.L. and VANCIN, F.R. Estudo testa os efeitos de diferentes conservantes para leite [online]. SciELO em Perspectiva | Press Releases, 2020 [viewed ]. Available from: https://pressreleases.scielo.org/blog/2020/05/15/estudo-testa-os-efeitos-de-diferentes-conservantes-para-leite/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation