Category: Ep

E se escutarmos um poeta, um filósofo e um educador para pensarmos os tempos da infância e uma infância para a educação?

Há um valor político na temporalidade infantil, que é preciso atentar e cuidar, muito mais do que interromper, como fazem, atualmente, as instituições educacionais. Assim, os modos de entender o político exigem repensar a experiência temporal propiciada e afirmada nas instituições educacionais. Nossa estratégia é chamar personagens infantis, vindos da literatura, da filosofia e da educação: Gonzalo Rojas, Gilles Deleuze e Paulo Freire para pensar o conceito que atravessa o presente ensaio: o tempo. Read More →

A participação infantil na Plenarinha (DF): ação social da criança em debate

Quando se pensa em participação infantil acaba por se remeter aos modos e graus em que as opiniões das crianças foram consideradas na sociedade. Estudo investiga a Plenarinha, que é uma proposta de escuta/participação das crianças da educação infantil, no Distrito Federal, sobre temáticas concernentes à primeira etapa. Read More →

Brasil isolado. Quando o espaço é condição de pensamento para problematizar a Educação

Embora sejam palavras diferentes, currículo e espaço se associam diretamente. Estudo busca reverberar e defender a força do pensamento espacial para a teorização curricular. Aqui, mais do que funcionar enquanto uma simples superfície, o espaço é relacionado à multiplicidade, à diferença e à vida. Read More →

Avaliação do uso de álcool e adesão à uma intervenção on-line entre estudantes universitários

O uso da internet tem facilitado a disponibilização de estratégias em saúde, mas apesar de favorecer o acesso a um grande número de pessoas a adesão tende a ser relativamente baixa. Estudo avaliou fatores associados à participação em uma intervenção via internet sobre o uso de álcool entre universitários. Read More →

Cenas da pandemia. O que podemos pensar sobre educação?

Em 2020, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) faz 30 anos. Esse marco coincide com a pandemia causada pela COVID-19, que coloca em conflito noções de direito ligadas à preservação da vida e da liberdade apresentadas pelo ECA. Diante desse contexto, estudo trata sobre reinvenções e deslocamentos diante da quarentena explorando seis cenas expressivas da reinvenção do cotidiano que estão vinculadas a três dimensões específicas: a relação de famílias com as tecnologias; a relação das famílias com a escola; e a relação das famílias com suas crianças. Read More →

Ano 2091: como ocupar as filosofias da educação?

Questiona-se as filosofias da educação em relação ao papel das lutas na transformação da escola, considerando, especialmente, as ocupações secundaristas. Conclui-se que uma longa tradição filosófica sobre a educação vem negando aos estudantes o papel de elementos ativos na invenção da escola, investindo pouco ou nenhum pensamento nas lutas estudantis. Read More →

A formação de professores para o Ensino Médio está demasiadamente centrada na prática?

Estudo examina algumas situações cotidianas envolvendo a formação inicial de professores ocorridas em cursos no Sul do Brasil, desenvolvidos por instituições públicas e privadas de ensino superior. Em tais experiências parece evidenciar-se um declínio da legitimidade acadêmica nos recentes modelos formativos em favor de uma centralidade das práticas, de uma ludificação dos procedimentos e um esmaecimento dos saberes curriculares e de sua função pública para a docência no Ensino Médio. Read More →

Pode um educador contemporâneo dialogar com pensadores da Antiguidade?

Pode-se caracterizar as concepções filosóficas e educacionais de John Dewey como céticas, mas somente até certo ponto. Na comparação do discurso deweyano com as teses de Pirro de Élis, revela-se que Dewey se aproxima de outra corrente filosófica, a Sofística, da qual deriva uma pedagogia inovadora e pouco conhecida. Read More →

Ergonomia da Atividade como percepção do trabalho docente frente ao sistema avaliativo da CAPES

Estudo analisa o trabalho docente, identificando constrangimentos em relação ao sistema de avaliação da produção intelectual da CAPES. Os resultados mostraram que aproximadamente metade dos sujeitos da pesquisa consideram essa avaliação injusta e geradora de desgastes por enfatizar as publicações em detrimento de outras atividades de ensino, pesquisa e extensão. Read More →

Usos e apropriações do conceito gramsciano de Estado Integral na área de Educação

As interpretações e usos do conceito gramsciano de Estado Integral em teses e dissertações da área de educação no Brasil são analisadas à luz dos escritos de Antonio Gramsci, com indicação de algumas imprecisões e de contribuições do conceito aos estudos, contribuindo para a compreensão das complexas relações que envolvem a agenda, a formulação, a implementação e a avaliação das políticas educacionais. Read More →