Qual o impacto do consumo de bebidas açucaradas em dietas?

Por Amanda Silva Fontes, Aluna de Iniciação Científica; Lais Duarte Batista, Mestranda em Nutrição em Saúde Pública e Regina Mara Fisberg, Professora Associada do Departamento de Nutrição, Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil

Estudo desenvolvido por membros do Grupo de Pesquisa em Avaliação do Consumo Alimentar (GAC), da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo mostrou que quanto maior o consumo de bebidas açucaradas, pior a qualidade da dieta da população Paulistana. O grupo estudou 1.494 adolescentes, adultos e idosos, consumidores de bebidas açucaradas residentes na cidade de São Paulo. Os resultados foram publicados no artigo “Aumento no consumo de bebidas açucaradas é associado à pior qualidade da dieta: um estudo transversal de base populacional” na Revista de Nutrição (vol. 32).

Utilizando um índice desenvolvido para medir a pontuação da qualidade da dieta da população brasileira, os pesquisadores encontraram que, independente da faixa etária, o aumento do consumo de bebidas açucaradas foi associado à diminuição da pontuação total desse índice e dos componentes específicos “frutas integrais”, “frutas totais”, “carne, ovos e leguminosas” e “gordura sólida, álcool e açúcar de adição”.

Pesquisa anterior realizada pelo mesmo grupo de pesquisa indicou que a ingestão de bebidas açucaradas é elevada nas três faixas etárias da população de São Paulo, mas principalmente em adolescentes. Este grupo consome, em média, 668,4mL de bebidas açucaradas por dia, especialmente refrigerantes, e esse consumo corresponde a 14,5% da ingestão energética total desse grupo. De modo geral, o consumo de bebidas açucaradas foi maior entre os adolescentes com excesso de peso, adultos que atendem às recomendações de atividade física e idosos de menor renda familiar per capita. Por outro lado, adolescentes do sexo feminino apresentaram menor consumo de bebidas açucaradas, tanto total quando de refrigerantes, quando comparadas aos meninos. Já idosos do sexo masculino e não consumidores de bebidas alcoólicas apresentaram menos consumo quando comparados as idosas e consumidores de álcool (FONTES, et al., no prelo).

Estudos anteriores já associam o consumo de bebidas açucaradas ao desenvolvimento de várias doenças crônicas não-transmissíveis, como diabetes, doenças cardiovasculares e câncer (SINGH, et al., 2015), e recentemente, estudo publicado por pesquisadores da Escola de Saúde Pública de Harvard demonstrou associação entre o consumo dessas bebidas e a ocorrência de mortalidade por todas as causas (MALIK, et al., 2019).

Fonte: FONTES et al., 2019.

Figura 1. Estudo mostra os efeitos do consumo de bebidas açucaradas na qualidade da dieta

Os pesquisadores destacam, portanto, a importância de um padrão alimentar saudável, sugerindo que a ingestão de bebidas açucaradas é um marcador de uma dieta de baixa qualidade nutricional e discutem a adoção de políticas de saúde pública com o objetivo de diminuir o consumo dessas bebidas na população a fim de melhorar a qualidade da dieta e reduzir a incidência de doenças não transmissíveis e mortes associadas a um padrão alimentar de baixa qualidade.

Referências

FONTES, A.S., et al. Demographic, socioeconomic and lifestyle factors associated with sugar-sweetened beverage intake: a population-based study. Revista Brasileira de Epidemiologia [online]. 2019. In press.

MALIK, V.S., et al. Long-Term Consumption of Sugar Sweetened and Artificially Sweetened Beverages and Risk of Mortality in US Adults. Circulation, v. 139, 2019. e-ISSN: 1524-4539 [viewed 31 May 2019]. DOI: 10.1161/circulationaha.118.037401. Available from: https://www.ahajournals.org/doi/10.1161/CIRCULATIONAHA.118.037401

SINGH, G.M., et al. Estimated global, regional, and national disease burdens related to sugar-sweetened beverage consumption in 2010. Circulation [online]. 2015, vol. 132, pp. 639-666, e-ISSN: 1524-4539 [viewed 31 May 2019]. DOI: 10.1161/circulationaha.114.010636. Available from: https://www.ahajournals.org/doi/full/10.1161/CIRCULATIONAHA.114.010636

Para ler o artigo, acesse

FONTES, A.S., et al. Aumento no consumo de bebidas açucaradas é associado à pior qualidade da dieta: um estudo transversal de base populacional. Rev. Nutr. [online]. 2019, vol. 32, e180121, ISSN: 1415-5273 [viewed 31 May 2019]. DOI: 10.1590/1678-9865201932e180121. Available from: http://ref.scielo.org/48tn47

Links externos

Grupo de Pesquisa em Avaliação do Consumo Alimentar (GAC/USP) <http://www.gac-usp.com.br/>

Revista de Nutrição – RN: <http://www.scielo.br/rn>

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

FONTES, A.S., BATISTA, L.D. and FISBERG, R.M. Qual o impacto do consumo de bebidas açucaradas em dietas? [online]. SciELO em Perspectiva | Press Releases, 2019 [viewed ]. Available from: https://pressreleases.scielo.org/blog/2019/06/03/qual-o-impacto-do-consumo-de-bebidas-acucaradas-em-dietas/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation