“Hábitos Saudáveis, Meninas Saudáveis – Brasil” e sustentabilidade na dieta das adolescentes

Ana Carolina Barco Leme pós-doutoranda, Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, Brasil.

Dra. Sonia Tucunduva Philippi, Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, SP Brasil.

Dra. Regina Mara Fisberg, Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, SP, Brasil.

Camila Laurentino Guedes, graduanda de nutrição do Centro Universitário São Camilo, Centro Universitário São Camilo, SP, Brasil.

O “Hábitos Saudáveis, Meninas Saudáveis – Brasil” foi desenvolvido por pesquisadores da Universidade de São Paulo e foi uma adaptação Australiana de um programa de prevenção à obesidade de meninas (Lubans, Morgan et al. 2010). O projeto foi realizado no 1º semestre de 2014 em 10 escolas públicas da cidade de São Paulo.  Cinco delas participaram do programa, enquanto as demais serviram de base para comparação.

O programa contou com diversos componentes que auxiliaram na mudança de comportamentos de estilos de vida (Leme and Philippi 2015). Eles incluíram oficinas culinárias e workshops de nutrição, aulas de educação física adaptadas para meninas, seminários interativos, mensagens semanais de nutrição e atividade física, livretos, mensagens por WhatsApp®, e cartas mensais para os pais. Diversos comportamentos foram avaliados antes do programa, no pós-imediato do programa (6 meses), e após 6 meses do término do programa (12 meses).

Dentre os comportamentos, a dieta foi avaliada por meio de um índice que media sua qualidade (Previdelli, Andrade et al. 2011) com 9 componentes de adequação e 3 de moderação. Portanto, foram avaliadas as características das dietas de 253 meninas após participarem do programa de prevenção aos problemas relacionados ao peso físico. A qualidade da dieta foi avaliada no artigo intitulado “Mudanças na qualidade da dieta em 6- e 12-meses pós-intervenção: Hábitos Saudáveis, Meninas Saudáveis: Brasil” (Leme, Philippi et al. 2020)

Esses programas têm como abordagem o foco na relação positiva da alimentação e peso corporal, por meio da integração de fatores de risco aos transtornos alimentares, tais como: satisfação de imagem corporal, comportamentos para controle de peso, e bullying corporal (Leme, Haines et al. 2021). Apesar das adolescentes não apresentarem redução do peso físico, apresentaram uma manutenção de peso saudável, com a melhoria na qualidade da dieta total. Alguns componentes apresentaram melhoria após a intervenção sendo eles, frutas totais, verduras totais, verduras e legumes verde escuros e alaranjados e grãos integrais. Programas como as “meninas saudáveis” podem servir de modelos para implementação nas escolas brasileiras para incentivo de mudanças nos estilos de vida.

Referências

LEME, A. C. et al. Impact of strategies for preventing obesity and risk factors for eating disorders among adolescents: a systematic review. Nutrients [online]. 2020. [viewed 16 November 2020]. https://doi.org/10.3390/nu12103134. Available from: https://www.preprints.org/manuscript/202008.0299/v1

LEME, A. C., et al. The “Healthy Habits, Healthy Girls” randomized controlled trial for girls: study design, protocol, and baseline results. Cadernos de Saúde Pública [online]. 2015, vol. 37, n. 7, pp. 1381-1394 [viewed 16 November 2020]. https://doi.org/10.1590/0102-311X00136014. Available from: http://ref.scielo.org/zg6gv6

LUBANS, D. R. et al. The Nutrition and Enjoyable Activity for Teen girls (NEAT girls) randomized controlled trial for adolescent girls from disadvantaged secondary schools: rationale, study protocol, and baseline results. Bmc Publica Health [online] 2010, vol. 10 [viewed 16 November 2020]. https://doi.org/10.1186/1471-2458-10-652. Available from: https://bmcpublichealth.biomedcentral.com/articles/10.1186/1471-2458-10-652

PREVIDELLI, A. N. et al. A revised version of the Healthy Eating Index for the Brazilian population. Revista de Saúde Pública [online]. 2011, vol. 45, n. 4, pp. 794-798 [viewed 16 November 2020]. https://doi.org/10.1590/S0034-89102011005000035. Available from: http://ref.scielo.org/fff96g

Para ler o artigo, acesse

LEME, A.C., et al. Mudanças na qualidade da dieta em 6 e em 12 meses pós-intervenção: Hábitos Saudáveis, Meninas Saudáveis: estudo brasileiro. Rev. Nutr. [online]. 2020, vol.33 [viewed 16 November 2020]. https://doi.org/10.1590/1678-9865202033e190184. Available from: http://ref.scielo.org/n7n7b7

Links externos

Revista de Nutrição – RN: https://www.scielo.br/rn

 

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

LEME, A.C., PHILIPPI, S.T., FISBERG, R.M. e GUEDES, C.L. “Hábitos Saudáveis, Meninas Saudáveis – Brasil” e sustentabilidade na dieta das adolescentes [online]. SciELO em Perspectiva | Press Releases, 2020 [viewed ]. Available from: https://pressreleases.scielo.org/blog/2020/11/18/habitos-saudaveis-meninas-saudaveis-brasil-e-sustentabilidade-na-dieta-das-adolescentes/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation