Tag: Economia

Há controvérsias tributárias e societárias no Brasil com o tratamento contábil dado pelas IFRSs às Combinações de Negócios – CN?

As operações de Combinação de Negócios (CN) indiscutivelmente constituem uma área de estudo multidisciplinar de grande riqueza conceitual. Questões do ramo do Direito Societário, do Direito Tributário e do Direito Econômico emergem naturalmente. Com a convergência das práticas contábeis adotadas no Brasil às melhores práticas internacionais, ou simplesmente IFRSs, mudanças profundas foram impostas aos profissionais de contabilidade no desempenho de suas atividades. Uma formação mais multidisciplinar passou a ser requerida, assim como o desenvolvimento de habilidades de comunicação e de julgamento. Read More →

Ser idoso no mundo contemporâneo – resiliência, questões econômicas, saúde física e social

Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia traz em seu número 5 de 2017 o editorial de Ina Voelcker, Diretora Técnica no Centro Internacional de Longevidade Brasil, tratando da resiliência ao longo da vida, diante das mudanças do mundo contemporâneo. Nesta edição, além dos temas voltados para a saúde física dos idosos, são apresentados artigos abordando questões econômicas, sociais e macrossociais. Read More →

Instituições de microcrédito e suas formas legais são tema de estudo empírico

Pesquisa discute as formas legais de instituições de microcrédito por meio da abordagem dos diferentes tipos de instituições e da análise de seu desempenho e impacto econômico e social. Os resultados geram impacto na área de microcrédito ao descrever o desenvolvimento dos diferentes tipos de instituições e o autor sugere investimentos para o mercado de microfinanças. Read More →

Neoliberalismo e a transformação do espaço urbano

O que é a cidade neoliberal? Que tipos de efeitos ela gera no tecido urbano? A discussão é sobre os efeitos da lógica mercadológica na transformação do tecido urbano latino-americano. Pesquisa conceitual e análise de exemplos da América Latina demonstram que as cidades são reestruturadas de forma a camuflar as desigualdades sócioespaciais geradas pelos interesses mercadológicos e do capital imobiliário. Read More →

Será que o preço é o principal fator na escolha do combustível pelo motorista?

Mesmo com o sucesso na produção de automóveis flex-fuel, a partir de 2010, o consumo de gasolina em relação ao etanol mostrou-se superior, contrariando a teoria de oferta e demanda, preconizada pelo governo e pelos executivos da cadeia produtiva do etanol. Se não é o preço, outros fatores devem determinar a escolha do combustível. Desta forma, a pesquisa aponta qual a percepção dos agentes da cadeia de suprimento em relação seus consumidores, e os drivers de escolha dos consumidores quando abastecerem seus veículos? Read More →

A reforma gerencial como uma forma de legitimar o estado social

A Reforma Gerencial visou legitimar o Estado Social que teve seu surgimento ainda nos anos 1940, tornando o provimento dos grandes serviços sociais universais mais eficientes. O Banco Mundial, responsável pelas reformas neoliberais, foi contra a Reforma Gerencial com o argumento do “sequenciamento”. A reforma gerencial do Estado começa no final do século XX, em alguns países não apenas ricos, como o Reino Unido e a Austrália, mas também de renda média como o Brasil e o Chile. Read More →

Historicidade e instituições no centro das relações de produção e de distribuição: por uma Ciência Econômica antipositivista e antineoclássica

Pesquisa aborda como os fenômenos econômicos surgem e se reproduzem com base nos comportamentos humanos conscientes. Diferentemente dos objetos da natureza física e biológica, cuja existência e regularidades não dependem das ações humanas, o objeto econômico é estruturalmente dependente das relações sociais de produção e de distribuição. Sua compreensão qualificada requer a aplicação de metodologias não-positivistas, fora da tradição teórica neoclássica e marginalista. Read More →

Os problemas teóricos de Piketty

Último número de 2016 da Revista de Economia Política traz duas críticas instigantes sobre a teoria de Piketty em O Capital no Século XXI. Sob uma perspectiva marxista, a falta de um referencial teórico é apontada por Rosa Marques e Marcel Leite; José Luis Oreiro e Marwil Dávila, a partir de Pasinetti e de Folley, concluindo a falta de solidez teórica a Piketty, principalmente porque ele confunde capital com riqueza. Além de discutir a teoria de Piketty, este número ainda traz outros temas no campo da economia. Read More →

A (difícil) relação entre teoria acadêmica e prática popular na Contabilidade

Hartmann, autor do editorial do periódico Revista Contabilidade & Finanças, discorre sobre a fraca relação observada entre a teoria acadêmica e a prática da profissão contábil apontando soluções para esta constatação. Para ele, o conceito de conhecimento contábil verdadeiro ainda estrutura seu pensamento nos níveis de análise pessoal, suprapessoal e subpessoal. Read More →

A economia mundial está em depressão?

Você já imaginou que as economias capitalistas ricas caminham por “um corredor estreito de estabilidade”, sempre ameaçadas pela crise e, agora, pela estagnação de longo prazo? Pois bem, é isso que Fernando Carvalho nos diz, a partir da análise de Hyman Minsky (1919-1996) – o grande analista das crises financeiras modernas. Significaria isto que os países ricos chegaram ao fim do desenvolvimento? Talvez seja ainda cedo para se chegar a esta conclusão. Read More →