Tag: Economia

Amazônia: ciência, tecnologia e inovação podem impulsionar o desenvolvimento em bases sustentáveis?

Padrões espaciais relativos à capacidade e à variedade de fontes de inovação no Brasil em 2019.

Diante da crescente repercussão planetária das estratégias para a conservação e o desenvolvimento da Amazônia, demonstramos que estratégias capazes de impulsionar a valorização de potenciais endógenos e do patrimônio natural do bioma encontram limites econômicos e institucionais à conformação de um novo modelo de desenvolvimento para a região.
Read More →

Como o risco de perda da hegemonia e a sombra da China mobilizam a política comercial de Trump?

Estudo analisa a política comercial dos Estados Unidos em duas frentes de batalha que ameaçam sua liderança mundial. Apesar do discurso protecionista e antiglobalização que marca a administração de Donald Trump, o artigo argumenta não se tratar de uma campanha contra o livre mercado, mas sim de uma estratégia disposta a utilizar a posição ainda hegemônica para garantir benefícios em acordos bilaterais. Read More →

Os livros como ferramentas para uma Boa Vizinhança: exportação e comércio editorial durante a Segunda Guerra

Como era o comércio editorial durante a Segunda Guerra Mundial? Estudo analisa os primeiros passos de uma política de aproximação intelectual entre Brasil e Estados Unidos durante a década de 1940, evidenciando como projetos editoriais e questões políticas podem estar profundamente articulados. Read More →

A importância da economia política

Economia e Sociedade apresenta um conjunto de temas que procuram valorizar seu escopo, firmado na Teoria Econômica e desenvolvendo o diálogo com as Ciências Sociais. Os destaques da segunda edição de 2019 são: financeirização, crise estrutural, economia ecológica e economia brasileira. Read More →

Por que os megaeventos são difusores da ideologia (neo)liberal na produção do espaço?

A partir dos anos 1990, o ideário neoliberal influencia a implementação estrutural de uma forma de gestão que concebe o desenvolvimento social como resultado espontâneo do crescimento econômico e privilegia os grandes grupos econômicos na formulação de políticas. Os megaeventos recentes, a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016, são exemplos dessa dinâmica. Read More →

A macroeconomia novo-desenvolvimentista revê e completa a pós-keynesiana: Duas escolas de pensamento que se completam

Estudo faz uma comparação entre a teoria pós-Keynesiana e a teoria novo desenvolvimentista. As principais diferenças entre elas são: a rejeição da política de crescimento com endividamento externo, o papel estratégico que atribui à taxa de cambio, e uma visão histórico-estrutural do desenvolvimento. Read More →

Historicidade e instituições no centro das relações de produção e de distribuição: por uma Ciência Econômica antipositivista e antineoclássica

Pesquisa aborda como os fenômenos econômicos surgem e se reproduzem com base nos comportamentos humanos conscientes. Diferentemente dos objetos da natureza física e biológica, cuja existência e regularidades não dependem das ações humanas, o objeto econômico é estruturalmente dependente das relações sociais de produção e de distribuição. Sua compreensão qualificada requer a aplicação de metodologias não-positivistas, fora da tradição teórica neoclássica e marginalista. Read More →

Os problemas teóricos de Piketty

Último número de 2016 da Revista de Economia Política traz duas críticas instigantes sobre a teoria de Piketty em O Capital no Século XXI. Sob uma perspectiva marxista, a falta de um referencial teórico é apontada por Rosa Marques e Marcel Leite; José Luis Oreiro e Marwil Dávila, a partir de Pasinetti e de Folley, concluindo a falta de solidez teórica a Piketty, principalmente porque ele confunde capital com riqueza. Além de discutir a teoria de Piketty, este número ainda traz outros temas no campo da economia. Read More →

A economia mundial está em depressão?

Você já imaginou que as economias capitalistas ricas caminham por “um corredor estreito de estabilidade”, sempre ameaçadas pela crise e, agora, pela estagnação de longo prazo? Pois bem, é isso que Fernando Carvalho nos diz, a partir da análise de Hyman Minsky (1919-1996) – o grande analista das crises financeiras modernas. Significaria isto que os países ricos chegaram ao fim do desenvolvimento? Talvez seja ainda cedo para se chegar a esta conclusão. Read More →